Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

31.08.11

Ilheus do IBO

aquimetem, Falar disto e daquilo

          E com este pôr-do-sol aproxima-se o fim da minha visita ao IBO, no dia seguinte, dia 30, foi só tomar o pequeno almoço e às 07h15 ala com a bagagem para o jipe que no relvado pronto para levantar voo já se encontra também o "caravan"  e o amável gerente do Lodge que nos acompanhou a desejar uma boa viagem e um bom regresso....

          Do que vi e senti não tenho engenho nem arte para descrever mas as fotos falarão por mim. Quero no entanto saudar aqui aquele generoso grupo de profissionais de diversos âmbitos que após uma viagem a África em 2002 e confrontados com a miséria do povo decidem criar a Fundação IBO com o seguinte objectivo: - 1º - Proteger todos os recursos da ilha; 2º- integrar a população local no processo; 3º - garantir uma gestão responsável dos recursos naturais. Com : criação de novas hortas; de uma oficina de costura; promoção e exportação de  ourivesaria local; exploração e produção de café. Na área do património histórico-cultural: - Participar e colaborar no ordenamento territorial da ilha, na recuperação e valorização do seu conjunto artístico, na manutenção da sua estrutura urbana e arquitectónica; criação de uma escola-oficina de restauração. Limpeza, caiação e reabilitação de habitações coloniais, edifícios públicos, (igreja Católica,  e edifícios singulares) e outros monumentos. Um abraço do tamanho do arquipélago das Quirimbas para uma Fundação cujos frutos de generosidade já se notam no rosto dos ilheus do IBO

         A voando em direcção a Pemba

       Um membro  isolado... do Arquipelogo

 

 

       Àgua e mangal... paraiso das Quirimbas

         Terra à vista

        Capital de Cabo Delegado onde numa ponta à entrada da baia se situa a cidade: Pempa.

     Sobrevoando Pempa

         Às 08h15 já estavamos em terra firme...deixando para trás o reino dos corais e do mangal, para fora do aeroporto entrar na viatura que por

estrada nos vai levar à provincia de Nampula. Da qual havemos de falar depois das férias .

       A caminho de outra ilha ....mas aqui Cabo Delegado já é planície

       E continua....

 

          Até que chegamos ao  limite. Cabo Delegado limita a norte com a Tanzânia, pelo rio Rovuma, e a sul com Nampula pelo rio Lúrio. Foi onde chegamos eram 10h40.

          Ponte sobre o rio Lúrio

22.08.11

No Indico para desembarcar

aquimetem, Falar disto e daquilo

           Desde finais de 2006 que o IBO Island Lodge se estabeleceu ali com um turismo de qualidade que os naturais do arquipélago das Quirimbas jamais poderiam oferecer. Para o efeito foram restaurados os centenários edifícios, mantendo a sua traça original, em sintonia com a longa história da ilha, onde se misturam as influencias árabe, indiana e europeia. Três das mansões coloniais estão recuperadas, cada uma com mais de cem anos, com paredes de 1 metro e tectos muito altos.  

          Corredor-telheiro ao longo das entradas exteriores dos edificios (3)

           Passeio publico frente à orla.

           A Lodge dispõe de  9 luxuosos quartos com ar-condicionado

           Jardim onde normalmente são servidos os almoços e ficam as piscinas

           No quintal ajardinado uma árvore carregada com  ninhos de pássaros migratórios.

           artesanato de ourivesaria

          Um artesão ourives. 

          A maioria dos habitantes de ilha são muçulmanos porque também são raros os que ali vão falar-lhes de Jesus Cristo. E tanto nome de santo, em monumentos em ruína. 

 

           IBO é realmente uma ilha mágica e os clientes do Lodge podem de facto perder-se na história da ilha, ver os artesãos a trabalhar, explorar as velhas fortalezas, relaxar nas suas três piscinas. Agora que IBO passou a ser o Centro Administrativo do Parque Nacional do Arquipélago das Quirimbas, vou aproveitar a maré para dar um  passeio num dos barcos tradicionais da ilha até que encontre um banco de areia no Indico para desembarcar. E ali apanhar uma manhã de sol e  tomar o pequeno almoço desse dia.

  

            Antes dos passageiros já outro barco se adiantou com tendas, alimentos e utensílios para desporto subaquático.

 

            Lá vamos nós feitos turistas em mar onde Vasco da Gama foi marinheiro.

 

           Ao largo e longe da ilha forma-se um "banco de areia" que nas mares baixas se pode ocupar, mas só nessa fase pois fora disso as águas do Indico tomam  conta do areal que os corais sustentam.

20.08.11

Há muito que aprender

aquimetem, Falar disto e daquilo

          Na costa norte de Moçambique, muito perto da Tanzânia, situa-se o Arquipélago das Quirimbas, uma pérola do oceano Indico! Enclave histórico e cultural de suma importância, IBO além disso é desde há pouco tempo o centro administrativo do Parque Nacional das Quirimbas o que pode vir a contribuir para a recuperação de uma prosperidade económica e social que já teve e há muito perdeu.

          Na época colonial portuguesa IBO foi capital de província pelo que o seu destruído bairro colonial, a sua fortaleza e fortins, e a sua " arquitectura religiosa respiram uma história cheia de esplendor ligada não só ao continente africano mas também à Europa, à  Índia e à Ásia" . Ao contrário de Pemba que não tem registo de ocupação no período pré-colonial já a ilha de IBO foi zona cultural de navegação e esteve nas cartas de muitos piratas . Tal como Zanzibar, foi centro comercial de escravos, de especiarias , de coloridos tecidos , de marfim,  de exóticas jóias e metais preciosos.     

          Presentemente esta pérola do Indico apresenta-se com um panorama muito severo para os nativos: malária, sida, ausência de infra-estruturas de saúde, grande mortalidade infantil, analfabetismo e um dos rendimentos por capita  mais baixos do mundo é o cenário. Quase metade da população tem 14 anos. E a média de vida 38!!!

 A ruína.....

O  abandono....

 E uma luz, telhas, na cobertura....

 Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em restauração por iniciativa da Fundação IBO.

 Forte de São Sebastião, a meio da ilha 

No interior do forte, uma dependência da Fundação IBO ensina a costurar.

 Noutra dependencia do mesmo um artersão trabalha em madeira

Ainda no interior do forte que foi "pousada" de escravos

Fortim de Santo António, no centro da vila

 Fortim de São José, junto ao porto marítimo

Próxima do Forte e do Jardim Botânico a escola de IBO, onde há muito que aprender.

16.08.11

A visita vai começar

aquimetem, Falar disto e daquilo

          Pela mesma porta de entrada atravessamos o  Rio Crocodilos deixamos o Kruger Park para alguns km à frente, pela fronteira de Ressano Garcia, regressar a Moçambique e em Maputo pernoitar.

 

           O dia 27 foi a descobrir e rever o já visitado em Maputo para às 17h40 voar do seu Aeroporto Internacional com destino a Pemba, onde se aterrou às 21h10, depois de uma paragem de 20minutos em Nampula. Hotel, jantar e deitar à rico....  

          O Pemba Beach Hotel  não me pagou para que lhe faça publicidade mas que serve com qualidade e esmero os seus clientes lá isso é uma verdade. Bom, mas não para  se abusar de tanto luxo!

           Interiores do hotel

 

           Jardim do hotel

 

          O jardim do hotel marginando a baia de Pemba.

      

           Após o pequeno almoço eis-nos a caminho do aeroporto de Pemba para num pequeno avião viajar até IBO. Pemba deve a sua fundação à Companhia do Niassa que em 1898 quando com poder de administração do território elevou um pequeno posto comercial à categoria de povoação. Com o fim da concessão da Companhia do Niassa, em 1929, Pemba tornou-se capital de recém-criado Distrito de Cabo Delegado. O nome porque se tornou famosa foi Porto Amélia em homenagem à ultima soberana de Portugal, a Rainha D. Amélia. Para depois da independência regressar ao nome actual. Mas tudo isto pôs ponto final à transferência de administração portuguesa desta região da vila de IBO para Pemba.

 

           Mãe e filha deixam-se fotografar

          Baia de Pemba entre as maiores do mundo, dizem.

          Mais uma vista de Pemba tirada em voo

          As maravilhas que na rota do IBO a terra e mar deixam ver

          A aeronave "arrelvou" em IBO e a visita vai começar

16.07.11

Cartas no bem servir

aquimetem, Falar disto e daquilo

 

 

           Paredes meias com o Museu da Ilha (Palácio de São Paulo) e com a bagagem instalada no acolhedor Terraco das Quintadas, chegou então a vez de dar atenção ao badalar de um  estômago viajado, mas vazio. E para isso  um café-restaurante ali ao pé foi ouro sobre azul. Se IBO já foi capital de Cabo Delgado, a Ilha de Mocambique antes de Maputo foi de Mocambique capital. Com 3,5 km de comprido por 350 a 500m de largo e ocupada por uma população de cerca de 18.000 habitantes, esta pérola moçambicana do Indico que deu hospedagem a Camões é Património Mundial da Humanidade, mas nem por isso as obras de conservação e recuperação do património construído e natural aceleram mais o passo, devolvendo à Ilha o prestigio devido. No que consta de turismo e serviços afins estão estes sítios bem servidos com complexos hoteleiros tais como o Terraco das Quintadas ou um Ruby Backpacker, na Ilha de Mocambique, a darem com muitos outros cartas no bem servir.

12.07.11

Oceânico Indico

aquimetem, Falar disto e daquilo

 

  

          Espectacular também foi o dia 27 com a partida do aeroporto de Maputo para Pemba, com escala de 20minutos em Nampula, onde no Pemba Beach Hotel pernoitamos para manhã cedo do dia 28 voar com destino à sedutora ilha de IBO. Às 10h o taxe aéreo “arrelvou” ali. Nesta pequena ilha com uma população de 4.000 pessoas, 40% das quais com menos de 14 anos e uma esperança de vida de 38 anos !, tem vindo a desempenhar notável acção social a Fundação IBO (espanhola). Impregnada de história e beleza natural IBO é um paraíso terreal perdido no Oceânico Indico e que o astro-rei elegeu  para diariamente ali se esconder no horizonte e mostrar em animada tela de brilho e cor o mais belo espectáculo que um pôr do sol proporciona.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D