Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

04.12.09

Foz do Kwanza

aquimetem, Falar disto e daquilo

 

          Seguindo em frente, pela mesma estrada, a cerca de uns 16km da portagem do Kwanza, deparamos á nossa direira com um desvio, que já teve trancão, cujo piso que também já foi excelente nos  conduz à sedutora Foz do Kwanza, paradisíaco parque de lazer, na margem direita da foz do maior rio genuinamente angolano.   

          Espaço envolvido por uma variada e exótica flora das zonas tropicais, a comuna de São João Baptista da Barra do Kwanza que já foi um dos mais concorridos e admirados espaços de  atracção turística mete dó passar hoje por lá e ver o desleixo em que se encontra.

          Este vídeo foi feito junto à moita de junco que se vê na foto inferir. E de costas para o que foi uma esplêndido restaurante, hoje em ruínas como numa segunda foto é mostrado.

           Lá ao fundo a caminho da barra, existe um restaurante para quem de jipe através de picada lá chegar.

  

        Para conhecer a Foz do Kwanza só havia que chegar aqui, aqui no interior da comuna de São João Baptista da Barra do Kwanza, onde grandes estruturas  hoteleiras foram montadas e sonhos de progresso e desenvolvimento jogados, com os resultados à vista... 

          O selo de garantia da minha passagem pela Foz do Kwanza. De regresso voltamos  em busca doutro destino, com um adeus à Barra, e uma paragem a meio do trajecto para visitar a casa de oração católica

            Exterior da igreja paroquial de São João da Baptista, da Barra do Kwanza. Sem comentários.

          Comentários para quê? Interior da igreja de São João Baptista, da Barra do Kwanza.

           Com paragem e lento andamento por causa do piso ao cabo de uns 18 minutos estávamos chegados à estrada que deixamos antes da portagem da  Ponte do Kwanza,  a  única portagem que neste momento se paga em Angola. Dista 72km da cidade de Luanda. Também com as estradas que por enquanto Angola tem, obrigar a pagar portagens era  como que sacar os "kwanzas" sem bazuca...

           Ponte que ali liga a província de Luanda com a província do Bengo. Eram 14h20, e a barriguinha a contar horas. Mas com maravilhas destas, nem a fome se faz sentir.  

          Da ponte, o rio visto para montante, já não muito longe da barra e para jusante fica a descrita Foz do Kwanza 

04.12.09

Miradouro da Lua!

aquimetem, Falar disto e daquilo

          Na quinta-feira, foi o jantar de despedida e o Broadway Bar o restaurante escolhido, para quem não acredita que Lunda é a cidade mais caro do mundo: fica a fatura: 1 água, 1.51 = 500.00 kz; 1monte velho = 3.200.00 kz.; 2 Nac/ Alho = 1000.00 kz; 1 frango Nizami = 2.300.00kz, 1 Makahanwala de Frango = 2.400.00kz; 1 Cabrito kadai = 2.500.00kz; 1 Palak Panir = 2.000.00kz; 3 Cafés = 750.00 kz; 1 Nosso  Maracuj = 1.000.00kz; e 1Aguardente= 1.200.00kz. - total 16.112. 25kz. Isto porque fizeram um desconto de 1.705.00kz. E depois ainda nos ficamos a rir, e eles a rir de nós. Mas não me apanham lá mais!!!

           Depois de jantar, o resto do dia 9 foi para repousar, pois na manhã seguinte, dia 10, já estava destinado dar um passeio por alguns dos  mais afamados sítios dos arrabaldes da Província de Luanda, que nesse dia, por ser Sexta- feira santa, o trânsito facultaria alcançar sem tanto embaraço.  

          Algures do centro da paróquia da Sagrada Família, cerca das 10h45 partimos com destino ao Miradouro da Lua, esquecidos de que também muitos outros pensaram como nós, e até primeiro, daí que a essa hora demos já com a estrada entupida quando nos pusemos a caminho.  

          Valeu o condutor conhecer bem os cantos à casa, e atalhando pela Samba Pequena, que se situa no Bairro da Samba, ao lado da Corimba, ganhar algum bom tempo que nos permitiu chegar mais cedo ao ponto de destino  

          Para trás, além  da cidade ficou  Benfica, a cerca de 15km; o Morro dos Veados, a 18km, onde se localiza  o Museu Nacional da Escravatura, instalado  na que foi a "Capela da Casa Grande", datada do séc.XVII, ali os escravos eram baptizados antes de embarcar para o Brasil;  bem mais depois fica a entrada do Mussulo (zona onde o Mussulo "toca" a costa), tudo isto no município de Samba. 

           A comuna de Benfica e Mussulo é das mais importantes  da província de Luanda, e o mercado de Benfica dos mais concorridos de Angola. 

           Mesmo assim deixa  espaço livre  e não retira oportunidades a estes anunciantes.

           Nem a estas boutiques que perto das povoações  e junto à estrada, abrem loja....

          E após cerca de três horas de viagem, sem sair do carro, eis-nos no cimo de um morro onde mais parece chegados a um planeta diferente do nosso, e o insólito nos faz  imaginar uma visita fantástica ao nosso lunar satélite.

          Aqui no topo de uma falésia que conduz  ao centro do fantástico aspecto paisagístico, aproveitei para recolher do sítio algumas imagens

          O vídeo dá do lugar uma breve mostra, onde é patente a aridez  do espaço, com o mar a servir de pano de fundo à paisagem.

           Sem dúvida um verdadeiro panorama "lunar", este!

         Se vive ou vai visitar Angola não perca a oportunidade de visitar este curioso e sedutor fenómeno geológico que o Criador ali modelou, fica a cerca de 55km de Luanda e a estrada é boa até lá. Não percam e visitem o Miradouro da Lu!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D