Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

04.12.16

Fica a saudade, a boa fama e a obra que deixou

aquimetem, Falar disto e daquilo

 

DSCN0628.JPG
N. 15/01/1919 – F. 02/12/2016

Em 15 de Janeiro de 2007 escrevi eu neste blog : “ Fez há pouco mais de 2 horas, 88 anos que nasceu, no lugar da Misericórdia, freguesia de Ermelo, o mais notável mondinense de sempre e que Vila Real acolhe como dilecto filho adoptivo, desde 1931: Monsenhor Ângelo do Carmo Minhava “. Foi ordenado sacerdote a 19/12/1942, 23 anos depois do seu nascimento, a 15 de Janeiro de 1919. Os seus dotes artísticos e culturais fora do comum cedo se revelaram e despertaram o apreço e admiração do saudoso Bispo D. António Valente da Fonseca que o convidou para leccionar no Seminário: Latim, Literatura, Francês e Musica. Como musicólogo de nomeada dirigiu o Orfeão do Seminário, do Liceu, da Escola Técnica  e do Instituto Politécnico de Vila Real. Notável poliglota os seus artigos de Critica Literária e Musical ficam dispersos por diversas revistas e jornais, o mesmo acontecendo em relação a trabalhos sobre Linguística e Filosofia. Na condição de autodidacta, tornou-se estudioso da Língua Alemã e Russa, tendo feito a tradução de algumas obras. Também como escritor destaco a “Cabrilada” que mereceu de Teixeira de Pascoais rasgado louvor.Musicou letras de muitos poetas e poetisas de todo o País, incluindo Madeira e Açores. Autor da Música de várias Marchas, recordo a de Vila Real, a de Mondim de Basto, a de Montalegre, a de Mesão Frio, a de Cerva e a de Santa Marta de Penaguião.

17131016_qRKA9.jpg

Deste saudoso amigo que tive a honra de merecer dele um comentário na Voz de Trás os Montes, ao meu livro: ” Vilar de Ferreiros- Na história, No espaço e na etnografia”, resta-me honrar a sua memória e por intercessão de Nossa Senhora da Graça pedir a Deus que lhe dê o merecido lugar no céu. Com o seu desaparecimento ficou Portugal e os transmontanos mais empobrecidos. Fica a saudade, a boa fama e a obra que deixou.

15.01.07

Padre Minhava

aquimetem, Falar disto e daquilo

          Fez há pouco mais de 2 horas, 88 anos que nasceu, no lugar da Misericórdia, freguesia de Ermelo, o mais notável mondinense de sempre e que Vila Real acolhe como dilecto filho adoptivo, desde 1931: Monsenhor Ângelo do Carmo Minhava .

         Ordenado sacerdote, a 19 de Dezembro de 1942, tinha à data 23 anos, o então Padre Minhava, cujos dotes artísticos e culturais se tinham já revelado fora do comum, foi convidado, pelo saudoso bispo D. António Valente da Fonseca, para  leccionar no Seminário: Latim, Literatura, Francês e Música.

          Poliglota de renome, os seus artigos de Critica  Literária e Musical, em revistas e jornais, são numerosos; o mesmo acontecendo em relação a trabalhos sobre Linguística e Filologia.

          Como musicólogo, dirigiu o Orfeão do Seminário, do Liceu, da Escola Técnica, da Cidade de Vila Real e do Instituto Politécnico. Musicou letras de muitos poetas e poetisas de todo o País, incluindo Madeira e Açores. 

         Na condição de autodidacta, dedicou-se ao estudo da Língua Alemã e Russa, tendo  chegado a traduzir algumas obras.

          Como escritor, merece realce: em poesia, a " Cabrilada ", poema herói-cómico-lírico , muito louvado por Teixeira de Pascoais; em teatro: a " Bengala Milagreira" , "A Feira dos Pucarinhos" e  "Recitativos" (alguns em francês e e em castelhano); na Linguística: " Venha  comigo à Lua" e "Aleo Aleo - quem adivinha?" ; na Cultura Religiosa e Histórica, destaque para "Veja se Sabe" ( diálogos com um estudante, sobre Cristianismo e Materialismo) e "Pequena Monografia (ilustrada) da Cidade de Vila Real", e além de outras mais, muitos  artigos dispersos.  Autor da Música de várias Marchas, realço: a de Vila Real, a de Mondim de Basto, Mesão Frio, Cerva  e Santa Marta de Penaguião. 

           Conheci o Padre Minhava em 1951, num dia em que ele apressadamente circulava pela Rua Isabel de Carvalho e eu que já o sabia natural de Ermelo e familiar duma senhora que de vez em quando ia a Vilar de Fereiros tocar o harmónio da igreja, fiquei pasmado a  vê-lo passar!  Ao tempo também um seu tio e padrinho com o mesmo titulo honorífico que só muito mais tarde, o nosso aniversariante de hoje viria a receber, gozava de renome  na cidade :era  o velho Monsenhor Minhava.  Deste, me contou, certo dia, o saudoso padre Manuel António Morias Miranda, que foi seu condíciplo em Braga, o seguinte episódio cómico: "O meu colega Minhava tem um sobrinho com o mesmo nome dele, e ao que se consta  é um mestre em Música, coisa para que o tio nunca teve jeito nenhum. Aqui há pouco tempo, um colega que estudou connosco, mas que ficou na diocese de Braga por a ela pertencer, ao ver um padre Ângelo Minhava publicitado na Imprensa como grande musicólogo, não se conteve e vai de felicitar o nosso comum amigo, monsenhor Minhava, tanto mais que nunca lhe tinha notados essas excelentes qualidades.  Sem se desmanchar, depois de ler a carta, o  Padre Minhava, quando assim o entendeu, chegou-se com a ela ao pé do sobrinho, e disse: guarda e lê que é para ti ".  

           Como não posso dar um abraço físico de parabéns a tão ilustre aniversariante, deixo-lhe  aqui este arrazoado, aliado ao evento, como preito de admiração, respeito e amizade. Por muitos anos mais, Monsenhor Ângelo do Carmo Minhava ! Sr. Padre Minhava, como gosta, de ser tratado.  

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D