Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

30.10.18

Com a acostumada mestria.

aquimetem, Falar disto e daquilo

DSC01265.JPG

No domingo, dia 21,após terminado o almoço  no salão os sobrinhos David e Helena Afonso ofereceram-se-me para ir dar uma volta comigo ver os estragos que a tempestade Leslie provocou no espaço que da Bajouca vai até à praia do Pedrogão. O tempo estava encoberto, mas convidativo para a passeata. 

DSC01262.JPG

Eram para me levar até ao Carriço, mas a Helena logo advertiu que não valia a pena, pois o que supunha que só lá é que eu ia ver imagens fortes que a tempestade deixou, as encontramos aqui na mesma escala logo que entramos na 1ª rotunda de quem entre no Pedrogão indo do Coimbrão. .

DSC01260.JPG

Na rotunda, tomando à direita a estrada que da Vieira dá acesso ao Carriço – a estrada ainda estava interditada - seguimos uns metros à frente e curtamos em direcção à Cáritas. Daqui, por toda a marginal, fomos ver os efeitos que nesta antiga aldeia piscatória, hoje conceituada zona balnear, a tempestade produziu.

DSC01276.JPG

Foram muitos os estragos, mas o “restaurante-bar do Manel”, foi o que sofreu mais. Tem que ser montado de raiz, se é que volta a abrir.

DSC01269.JPG

 Demos a volta pelas “pedras” e rotunda do Campismo e fomos apanhar a estrada da Ervedeira, onde o estrago não foi inferior.

DSC01275.JPG

Depois viemos de regresso pelo Grô ter a Monte Redondo e numa pastelaria muito bem frequentada tomar um cafezinho e ganhar uma foto para a posteridade que me tiram à traição. Mas muito bem tirada, com a acostumada mestria.  

25.10.18

Dia Mundial das Missões

aquimetem, Falar disto e daquilo

DSC01223.JPG

No nesta ocasião em que faz 40 anos que São João Paulo iniciou o seu labor no comando da barca de Pedro, vim eu, este fim de semana, até à capital do barro leiriense,  com o propósito, especial, de tomar parte na vigília de Sexta-feira e no almoço, que no salão paroquial da Bajouca decorreu, no domingo dia 19, pelos Amigos do Verbo Divino, organizado. 

DSC01182.JPG

Também de Almodôvar veio na sexta-feira, o Sr. Padre Soares, do Verbo Divino, para presidir à vigília que decorreu na sua terra natal, onde conta com uma importante coluna de apoio às iniciativas de carácter social promovidas pela sua Congregação.

DSC01179.JPG

Como sempre nestes encontros de solidariedade os bajouquenses dão cartas, e têm sempre algo de novo para mostrar. Desta vez foi uma jovem Médica, a Cátia que veio dar o seu testemunho duma experiência de voluntarismo que fez em Angola, ao serviço desta congregação da Igreja Católica que teve por fundador o Padre alemão Arnaldo Janssen. Esta jovem, quer na vigília, como na missa vespertina de sábado, desenvolveu uma elucidativa exposição acerca da sua experiência e das carências com que lutam os responsáveis por cuidar de quem precisa de ajuda naquelas terras distantes.

DSC01234.JPG

No almoço tomaram parte mais de centena e meia de comensais que deixaram a sua oferta para apoiar o projecto agora lançado, e onde também não faltou uma feirazinha sempre que se faz iniciativas com vista a angariar donativos para fins humanitários.

DSC01252.JPG

Mas mesmo muita gente que também requer muitos braços e generosidade por parte de quem colabora nestas coisas que dão muito trabalho, todavia onde a união faz a força nas horas da verdade todos respondem à chamada

DSC01243.JPG

Sempre atento aos momentos grandes da sua paróquia, o Sr. Padre Davide não precisou de fazer qualquer referencia ao evento, salvo abençoar a mesa, pois já a tinha feito na Eucaristia dominical, das 09h00

DSC01232.JPG

 Sem serventes a mesa fica vazia, e a barriga também. Parabéns a quem nos serve e serve bem. 

DSC01237.JPG

Até a Catarina deixou São Salvador  para vir a Santo Aleixo com o seu sorriso inconfundível.

DSC01258.JPG

 Deixei para o fim um aspecto do que foi a feirazinha que animou o inicio do almoço. Muito concorrida foi e rendeu muito ou pouco não sei. Alguma coisa se vendeu pois a minha mulher sei que comprou algo. 

DSC01238.JPG

Mas vamos, com mais esta foto, onde uma vez mais figura a Drª. Cátia concluir o post e dar a saber para que obra, terra e pais,  se destina o apoio deste ano. Vai para Moçambique e tem por destino comprar carteiras para a Escola Comunitária de Santo António da Malhangalene-Maputo. É mais uma das iniciativas do Verbo Divino e também um desafio lançado  aos AMIVD que na Bajouca se reuniram no domingo, no dia 21, para festejar o Dia Mundial das Missões. Calhau precisamente nesse dia que foi o dia Mundial das Missões, e vespera do dia em São João Paulo II, iniciou o seu ónus como responsável da Cátedra que Jesus Cristo confiou a  São Pedro e aos seus sucessores. Encerro com uma alusão ao EVANGELII GAUDIUM do Santo Padre Francisco que dirigiu ao Episcopado, ao Clero, ás pessoas Consagradas e  aos fieis e leigos sobre o Evangelho no mundo actual. Assim começa: “A Alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento. Com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria. Quero, com esta Exortação, dirigir-me aos fiéis cristãos a fim de os convidar para uma nova etapa evangelizadora marcada por esta alegria e indicar caminhos para o percurso da Igreja nos próximos anos”.  Importa lê-lo e medita-lo. Eu vou-me ficar pela leitura do Guião Missionário 2018/2019, porque tem muito que ler e boa informação doutrinal, como é timbre do Verbo Divino.

22.10.18

O tempo gasta, mas é um grande mestre!

aquimetem, Falar disto e daquilo

DSC01177.JPG

Há já uns tempos que não vinha com vagar à capital do barro leiriense, a última vez foi de fugida para participar no funeral do “Zezito Rato”, no dia 13 de Setembro. Nem mesmo a tempestade Leslie lá me levou a ver os rastos bem visíveis que deixou e eu já não vi por inteiro. 

DSC01175.JPG

Vim hoje para com mais à vontade ver o que não foi ainda amanhado, nem restaurado visto que foi grande a desbastação que fez a tempestade por onde quer que passou. Fui dos que tive muita sorte por me ter poupado o telhado da casa e demais bens ao luar que tenho no quintal, como arvores e plantas de jardim.Tirante o diospireiro que foi esgalhado a meio pelo vento, e uma pequena pereira ainda mal segura ao terreno, nada mais digno de registo se deu em meu desfavor. 

DSC01192.JPG

Sorte bem pior se deu aqui à volta, onde além do relógio da igreja, também por todo o espaço voaram telhados e arvores tombaram cortando as estradas e caminhos. Uma ronda pela pelo centro da Bajouca permitiu-me ver parte dos resíduos deixados pela tempestade e que ainda não foram eliminados. Agradeço a quem me fez companhia e serviu de cicerone. Não digo quem foi, mas pela aragem se vê quem vai na carruagem, neste caso no carro.  

DSC01186.JPG

Mal entrei na Marinha do Engenho vi bem patente os efeitos que no pinhal deixou marca a tempestade nesse dia, com toros de pinheiro à beira da estrada que foram serrados para desobstruir a via. Não me dá gosto ver e dar noticias deste género, mas faz parte do trabalho daqueles que se dão ao encargo de fazer circular a informação colhida in loco. Sinto-me por isso abalizado para o fazer, mesmo que sem para isso seja requisitado nem pago para o pôr em prática. Também aqui a voluntariosidade que sempre foi meu lema surge como meu guião. Pena uma vez mais não vir com tempo disponível para percorrer as zonas mais afectadas por aqui à volta, como Pombal, Figueira da Foz, Soure, Marinha Grande; ou mesmo localidades vizinhas como a praia da Vieira, do Pedrogão, ou a freguesia do Carriço e a União das Freguesias da Ilha, Mata Mourisca e Guia.  Fiquei com pena, mas o tempo não deu para mais. Mas vi o suficiente e outros já viram e divulgaram muito mais de que isto e melhor do que eu. Mas uma coisa acrescento, do que colhi posso adiantar: o tempo gasta, mas é um grande mestre !

 

14.09.18

O Zezito Rato deixou-nos

aquimetem, Falar disto e daquilo

DSC00953.JPG

Desta vez foi só de ida e volta, na companhia da minha esposa, da Soisita e do seu filho Miguel, para tomarmos parte no funeral dum primo da minha mulher e por afinidade também meu, e do irmão e tio dos dois nossos companheiros de viagem. Saímos de Lisboa ás 10h30 e por volta das 12h30 já estávamos abancados em Monte Redondo, onde no Bom Papo, almoçamos.

41572319_1988130391210221_7193957735606517760_n[1]

E tudo isto, porquê? Vamos à descrição: O Zézito “Rato” pregou-me uma partida ou foi a parca que lhe pregou a partida a ele. De seu nome completo José Sousa Afonso, este bajouquense, apenas  com 67 anos, deixou o mundo dos vivos no passado dia 11 e foi a sepultar no dia 13, pertinho da casa, onde nas Lameiras da Bajouca, nasceu. Deixou saudades pela sua simplicidade e espirito muito aberto e franco. Gostava de me encontrar com ele sempre que calhava, pois tinha sempre um ar da sua graça para criar bom ambiente. Desta vez não o vi nas festas de Sto. Aleixo, e também jamais o volto a ver partilhar nelas, nem ele também a mim. Não somos de cá, embora muitos pensem que sim e se portam como tal. Dos quatro irmãos já só o Ramiro e Soisita, são vivos. Alice já há muito que faleceu. O Zezito era o mais novo dos quatro, e também um dos mais asados para cuidar dos terras e dos seus pinhais. Ficou mais pobre a família dos Afonsos da capital do barro leiriense. Deixa de luto além do mais, seus diletos filhos: Dulcineia, José Carlos, Leonardo e Adélia. Residia no Vale de Cima, o seu funeral constituiu uma verdadeira prova de como o saudoso finado era estimado pela comunidade local e arredores  ao vermos  associar-se tanta gente às exéquias que tiveram inicio ás 17h00 na igreja paroquial e culminaram com o cortejo fúnebre para o cemitério da Bajouca. Terminadas as cerimónias regressamos a nossas casas onde por volta das 21h00 já cá estavamos de novo. A todos os familiares do saudoso extinto as mais sentidas condolências, e ao Zezito votos para  que descanse em paz.

01.09.18

Se Deus deixar, podem contar comigo

aquimetem, Falar disto e daquilo

DSC00901.JPG

Chegou o dia 1 de Setembro, o qual  a juventude que na Bajouca, e não só , nasceu em 1938,  escolheu para este ano festejar o evento com o tradicional almoço-convívio servido no Café-Restaurante Ka-Te-Kero da Isabel dos 13.

DSC00904.JPG

Já há um bom pare de anos que sou cliente, e embora nascido nas faldas do Marão, e sopé de Nossa Senhora da Graça (Monte Farinha) posso dizer que a capital do barro leiriense é bem mais que a minha segunda terra-mãe pois aqui por casamento estou ligado de alma e coração.

DSC00903.JPG

O que quer dizer que me considero em família e membro da comunidade bajouquense. Feita a introdução vamos à reportagem que começa por volta das 13h00, com a chegada dos que comigo fazem este ano “dois carro”, como se dizia dantes na minha terra. Dois carros dado que cada carro corresponde a 40 arrobas ou alqueires, e portanto “dois caros” quer dizer 80 anos.  É que na Bajouca já ouvi falar de “móios” , que para mim é latim. Mas pelos vistos dizem corresponder a sessenta medidas. Cada terra com seu uso e cada roca com seu fuso. 

DSC00905.JPG

Com a juventude vem também algumas moletas, eu trouxe a minha que veio o ano passado, gostou e cá a tenho uma vez mais comigo. Esta  sim, é bajouquense de gema. O meu vizinho de frente, além da Luzia, trouxe também o Nuno, seu filho, como condutor e seguro companheiro da mãe.

DSC00920.JPG

Éramos 32 comensais, mas "aneiros" de 1938 apenas 15, entre homens e mulheres. O restaurante que neste dia entrou de férias até ao próximo dia 16, esteve por nossa conta graças à simpatia e consideração que a Isabel tem por este grupo de clientes seus, daí se disponibilizar para nos atender. Bem haja.

DSC00902.JPG

Além do pároco, Sr. Padre Davide Gonçalves, também esteve presente o Sr. Padre Melquiades, e antes do inicio do almoço o Sr. Silvino fez as merecidas referencias aos últimos quatro companheiros que este ano deixaram de fazer parte da nossa companhia terrena, e de seguida abençoou a mesa.

DSC00908.JPG

Com o Sílvino Cabecinhas e o “Ferreirito” na organização desde  a primeira hora, as promessas de alguns que depois falham, começam a fazer moça e a desanimar quem com os anos vai perdendo a paciência por muita boa vontade que tenha.

DSC00922.JPG

Mas mesmo assim já ficou marcado outro para o próximo ano, no ultimo sábado de Agosto esperamos que a Isabel não se esqueça de o marcar. E se Deus deixar, podem contar comigo.

29.08.18

Sentidas condolências

aquimetem, Falar disto e daquilo

DSC00831.JPG

Com 73 anos faleceu ontem o Sr. Hilário Ferreira Pedrosa Gaspar, que foi residente na Rua do Vale-Bajouca (Leiria). Era casado com a Srª Maria Rosa Ferreira  Pedrosa Cabecinhas e pai de Licínio e David Ferreira Gaspar. Bajouquense muito estimado e querido por toda a comunidade paroquial e civil que muito bem serviu nos mais diversos labores, mormente no que respeita ao grupo dos amigos do Verbo Divino, onde muitas vezes notei a sua presença nos encontros e na cozedura das fornadas juntamente com a esposa, e fazendo equipa com o José Soares e a Fernanda Capitão. O malandro do coração deixou de funcionar, e quando isso acontece lá vamos nós desta para melhor. Foi cedo de mais, pois ainda tinha muito para dar de seu à comunidade. Que Deus o tenha junto de si e ele se lembre dos que ainda por cá ficaram mais algum tempo, e rogue para que tenhamos também um bom lugar quando lá chegarmos. O seu funeral vai hoje, dia 29, decorrer pelas 18h00, após as cerimónias religiosas na igreja paroquial da Bajouca e para o cemitério local. A toda a família em luto as minhas sentidas condolências. Que descanse em paz.

28.08.18

Que os homens ajudem, como Deus quer

aquimetem, Falar disto e daquilo

DSC00141.JPG

Um fim de semana sossegado como já há muito não acontecia quando venho à capital do barro leiriense. Com os habituais animadores da nossa estadia por estas paragens ocupados noutras tarefas prioritárias, e já antecipadamente programadas, tivemos que por nós próprios fazer a caminhada sem a acostumada companhia e a fraterna amizade. E lá se fez com a deslocação aos 13, para na Isabel, tomar o cafezinho da ordem, após o almoço e já com a Missa dominical que o sr. Padre Davide celebrou às 09h00, tendo como seu ajudante o diácono João Paiva.

DSCN3293.JPG

Entretanto a semana começa a decorrer e cada um tem mais que fazer do que gozar férias. Resultado?! Lá tenho que me desenvencilhar e com mais ou menos net arranjar forma de ocupar o tempo o melhor possível. Hoje até já consegui ver um meu arrazoado que Tempo Caminhado divulgou a fazer referência à Peregrinação de Nossa Senhora da Graça que no próximo domingo, 02 de Setembro vai ter lugar no alto do Monte Farinha, concelho de Mondim de Basto.

15819919_7IUWP.jpg

Já há muito que não tomo parte nesta festa de que durante muitos anos fui fiel peregrino. Na ultima ainda almocei com o saudoso bispo da diocese D. Joaquim Gonçalves. Que saudades desse tempo, em que também o Padre Guedes, de saudosa memória, paroquiava Vilar de Ferreiros. O tempo com sua enxó lá vai moldando as páginas da historia que os homens e a natureza deixam ao seu cuidado talhar. Pede-se também é que os homens ajudem, como Deus quer.

18.08.18

Para o ano há mais

aquimetem, Falar disto e daquilo

 

37543075_1455324251280981_8882810602347560960_n[1]

E chegamos ao fim das festas de Santo Aleixo da Bajouca de 2018. Foram cinco dias bem passados, com cerimónias religiosas, boa musica, exibições artísticas e culturais, folclore e etnografia, artesanato, gastronomia e tudo o mais que festas com tradição como esta, alimentam e dão a conhecer.  Desta vez assisti de principio ao fim aos principais momentos significativos dos festejos que foi no dia 11 de Agosto. Nesse dia, sábado, logo pela manhã quem se inscreveu, e são sempre muitos os concorrentes, partiram em demanda dos mais recônditos lugarejos da freguesia, em passeio de bicicleta os participantes que ao cabo de cerca de 2h00 tiveram direito ao almoço, uma feijoada no restaurante da festa.

DSC00608.JPG

Ás 20h00 veio de Fátima, o Reitor do Santuário, sr. Padre Carlos Cabecinhas, celebrar a Eucaristia e dar inicio oficial às festividades religiosas da sua terra-natal.

DSC00634.JPG

No domingo, dia 12, calhou ao padre Soares, vir de Almodovar (Beja), onde é pároco, fazer o mesmo. Mas com Missa às 14h30, seguida de procissão e leilão de ofertas. O resto  tarde foi com folclore e a exibição dos idosos do Centro Dia da Bajouca, sempre muito alegres e animados.

DSC00649.JPG

Já o dia 13 teve como celebrante o pároco  dos Pousos (Leiria), coadjuvado pelo da Bajouca, mais o bajouquense sr. Padre Melquiades e diácono João Paiva, que tomou parte em todas as cerimónias religiosas da festa deste ano.  Tratou-se duma cerimónia em que a paroquia dos Pousos congeminou com a da Bajouca. Tudo fruto da Festa da Fé promovida pela diocese de Leiria.

080.JPG

Surge o dia 14 que tem como destaque além da música e do folclore a presença de mais um bajouquense ilustre a presidir à Eucaristia, o Sr. Padre frei Fernando Cabecinhas, superior dos “frades Capuchinhos” (franciscanos),  em Portugal.

DSC00677.JPG

Para encerrar chega o dia 15, dia de Nossa Senhora da Assunção, feriado e dia santo de guarda após Pio XII ter tornado dogma de fé um desejo milenário que desde as origens do cristianismo os fieis ansiavam ver concretizado e por isso o alimentavam de modo fervoroso. Uma vez mais foi ao pároco, sr. Padre Davide Gonçalves que competiu celebrar a Missa e como sempre as suas homilias são bem preparadas e causam apreço a quem as ouve.

DSC00684.JPG

DSC00688.JPG

DSC00696.JPG

Como de costume as festas de Santo Aleixo da Bajouca terminam com a tradicional sessão de fogo artístico, às 24h00, prolongando com musica de conceituado conjunto até que os dançantes e os apreciadores se fartassem. Deixei-os  no fim do fogo e fui pra deita. Para o ano há mais.

11.08.18

O tempo está convidativo

aquimetem, Falar disto e daquilo

DSC00531.JPG

Começou hoje, sábado, dia 11,  e só na quarta-feira, dia 15, é que termina a festa de Santo  Aleixo da Bajouca. O programa é aliciante, mas o restaurante da festa é quem mais atrai os festeiros que de longe se deslocam ali para saborear o famoso “carneiro à Bajouca” que como de costume tem o “mestre Lino” na sua confeção.

DSC00548.JPG

A fama até já atravessou fronteiras pois é vulgar encontrar imigrantes que dizem vieram ali a conselho de amigos com quem travaram conhecimento nos países onde trabalham. O ano passado fui testemunha de um caso destes. Mas vamos ao dia de hoje que tinha noticiado em post anterior e agora ratifico com imagens do  passeio em  bicicleta e o programa mais completo e visível dos festejos.

DSC00606.JPG

Apareçam que no fim da missa vespertina, celebrada pelo bajouquense Sr. Padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, coadjuvado pelo diácono João Paiva, às 20h00 abre ao publico o restaurante e o “carneiro à Bajouca” além dos demais pratos da culinária da região surge para despertar o apetite. Venham que o tempo está convidativo. Chamativo.

05.08.18

Os meus mais sentidos pêsames.

aquimetem, Falar disto e daquilo

DSC00514.JPG

Foi hoje a sepultar no cemitério da Bajouca depois de Missa de corpo presente celebrada pelo pároco da Bajouca, Sr. Padre Davide, o corpo do bajouquense Sr. Manuel Eugénio Ferreira, de 85 anos de idede, e que foi morador na Bajouca de Cima. Era casado com Maria Pedrosa Ferreira e pais de Maria João, Fernando, Maria Madalena, Ana Paula, Paulino, Maria Leonor, André Manuel e Pedro Pedrosa Ferreira, além de mais o João Pedrosa Ferreira, já falecido. Uma família muito devota e laboriosa que na Bajouca é muito estimada e respeitada viu-se agora na sua despedida do convívio com os vivos, como os seus conterrâneos e não só lhe renderam a homenagem devida com muita gente à volta da urna que de Leiria, onde no HSA faleceu ontem, dia 4, e já no dia 5 por volta das 17h00 estava o carro fúnebre à chegar com o corpo à Bajouca, onde após as cerimónias religiosas iniciadas 18h00 em cortejo desceu à terra da verdade. Paz à sua alma. Aos familiares mais das minhas, relações: o cunhado Sr. Ferreira, e ao seu filho Paulo Ferreira os meus mais sentidos pêsames.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D