Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

16.06.12

Santo António de Lisboa

aquimetem, Falar disto e daquilo

            É dos santos mais conhecidos em todo o mundo, e popularmente festejado e cultuado. Nasceu em Lisboa, por volta de 1195 e faleceu em Pádua, a 13 de Junho de 1231. Baptizado com o nome de Fernando Martins de Bulhões, teve por seus progenitores, Martim de Bulhões e Maria Teresa Taveira Azevedo, descendentes de famílias nobres e abastadas, assim como também muito cristãs.

           Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior (actual Sé de Lisboa) tendo por mestres os cónegos Regrantes de Santo Agostinho a cuja Ordem pertenceu, depois de entrar como noviço no Mosteiro de São Vicente de Fora e desse modo iniciar os estudos para a sua formação religiosa. Nessa condição vai para Coimbra, onde no Convento de Santa Cruz estudou Direito. Coimbra era ao tempo o centro intelectual do País, e por certo ali se deve ter envolvido de forma profunda no estudo da Sagrada Escritura e nos textos dos Padres da Igreja. Alem de que nessa ocasião conheceu também os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal  em 1217, e que seguiam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. Seduzido por esse ideal e motivado por um impulso mais forte quando vê os corpos desses frades, mortos em sua missão, voltarem a Coimbra, onde foram honrados como mártires, pede para trocar de Ordem e se juntar a outros franciscanos que tinham  eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, e muda o nome de Fernando para António, iniciando a sua própria missão em busca do martírio.

          Viajou muito, vivendo inicialmente em Portugal, depois na Itália e na França. Em 1221 passou a fazer parte do Capitulo Geral da Ordem de Assis, a convite do próprio São Francisco, o fundador, que o convidou também a pregar contra os albigenses em França. Foi transferido depois para Bolonha e de seguida para Pádua, onde morreu com cerca de 40 anos.

          Construída no sítio da casa onde nasceu Santo António, esta igreja, vizinha da Sé, é como em Pádua (Itália) pólo de atracão que chama a si devotos vindos das mais diversas partes do globo e muitos até não católicos que sentem admiração e respeito por este notável santo português e Doutor da Igreja.

           Padroeiro de Lisboa, Pádua, pobres, oprimidos, casais, mulheres grávidas e pessoas que desejam encontrar objectos perdidos, entre tantos mais, encontram em Santo António o seu fiel protector e elo de ligação com Jesus e a Sua Igreja. Ao longo dos séculos Lisboa tem sabido honrar essa graça de ter por filho seu, um tão insigne taumaturgo, de quem disse São Boaventura " possui a ciência dos anjos". A sua fama de santidade era tão grande que falecido em 13 de Junho de 1231,  logo em 30 de Maio de 1232 é canonizado por Gregório IX, na catedral de Espoleto (Itália). Festejado com pompa e circunstância na sua cidade, com festas populares à mistura, o teólogo, o místico, o asceta e notável orador sagrado tem no seu dia, feriado municipal e festa religiosa muito participada, com Missa Solene e Procissão pelas ruas de Alfama sob tutela da Ordem Franciscana e colaboração do município alfacinha.

          Lá voltei um ano mais, desta vez para pedir ao Santo milagreiro que interceda junto de Nossa Senhora do Viso, para que dê juizinho a uns tantos politiqueiros que se apoderaram de São Bento... e deixem de exigir aos santos que também tenham de pagar a crise..., com dias de trabalho. Entretanto vamos de fugida até à procissão: aqui com o Padre Frei Jorge Marques, guardião e reitor da Casa-igreja de Santo António à Sé, no comando do cortejo.

 

           Se os grevistas da CP pensaram que com a falta de comboios iam prejudicar a Procissão de Santo António, bem se enganaram. Como nos anos anteriores, centenas e centenas de fieis devotos se incorporaram no cortejo e também muitos estrangeiros, turistas na maioria.

 

           Muitas irmandades das diversas paróquias da cidade

            A imagem do Santo transportada, como tem vindo a ser tradição, pelos Sapadores B. de Lisboa.

          Na cauda da procissão,o pálio com o Santissimo seguro nas mãos de  D. Nuno Brás Martins, bispo - auxiliar do Patriarcado, que presidiu.

 

          Atrás a banda dos Sapadores Bombeiros e muito povo, muito povo mesmo.

 

           De volta ao ponto de partida, frente à Sé, a procissão terminou com  a bênção aos circunstantes por D. Nuno Brás, e um agradecimento final a quantos colaboraram e participaram desta festividade citadina feito pelo Reitor da Casa-igreja de Santo António de Lisboa.

 

           Entretanto a imagem do Santo regressa ao seu altar, na igreja de Santo António de Lisboa, no Lg de Santo António à Sé

          E cá está ela, no Largo, a caminho de casa, paredes meias com a Sé

ii

         A casa-igreja de Santo António de Lisboa.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D