Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

02.09.11

No meio da ponte

aquimetem, Falar disto e daquilo

          Após cerca de duas horas de bom rodar, por uma estrada razoável e marginada por uma sedutora e alargada paisagem rústica, deixamos para trás Cabo Delegado para atravessada uma bela ponte salazarista, sobre o rio Lúrio, entrar na provincia de Nampula. O destino agora é a Ilha de Moçambique historicamente a mais importante cidade moçambicana que descoberta por Vasco da Gama em 1498 passou desde então a ser ponto estratégico para iniciar a expansão para outras regiões do país e por isso capital de Moçambique colonial até 1898 altura em que Lourenço Marques, hoje Maputo, lhe tomou o privilégio.

 

           Em África é mesmo assim: não se mede as distâncias por km, mas sim por horas, dado que nas  partidas e chegadas o tempo é que determina e marca. O verde azulado com que se reveste o arquipélago das Quirimbas deixa de se notar logo a partir de Pemba para dar lugar a uma paisagem rusticamente dilatada por um litoral com afloramentos graníticos gigantescos a causar espanto.  Vai ser este o panorama durante mais umas  três horas de viagem que separam o rio Lúrio da Ilha de Moçambique.         

         Plantações de beterraba

          Terra à espera de braços.....

          Uma agulha no deserto.... para não dizer no palheiro. Estruturas industriais e comerciais

        Aqui  deixamos a estrada de Nacala para tomar e seguir a da Ilha. 

          Aqui um placar deixa ver o preçário das portagens da ponte para a Ilha

         A entrada na ponte

 

           E cá estamos nós, como o tolo no meio da ponte  

2 comentários

  • Mais que tendencioso, sou cada vez mais revir alho , e só quem ainda não se apercebeu do buraco em que aqueles em quem eu também acreditei nos meteram é que continuam à espera do milagre das rosas...Que vão pagar caro. Há diferenças: com SALAZAR não se podia falar, mas havia trabalho, e até forçado se necessário..., com estes novatos sem capacidade intelectual pode-se falar à vontade que ninguém nos ouve....
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D