Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

Portugal, minha terra.

<div align=center><a href='http://www.counter12.com'><img src='http://www.counter12.com/img-6d7wDw0z0Zz1WyaW-26.gif' border='0' alt='free web counter'></a><script type='text/javascript' sr

11.11.06

manda quem pode

aquimetem, Falar disto e daquilo

          Hoje, dia de São Martinho, deu-me  para fazer uma  passeata por uma das zonas mais antigas da cidade: a freguesia da Sé. A sua origem paroquial remonta ao ano de  1150, logo após D. Afonso Henriques ter conquistado Lisboa, em 1147. E ao facto de ter mandado arrasar a mesquita que no local existia, para sobre a mesma ordenar a construção da igreja matriz alfacinha, que depois, em 1393, D. João I, elevou a catedral metropolitana.

           Para além da Sé Catedral, que deu o nome à freguesia, merece particular realce a igreja de Santo António, onde, segundo a tradição, terá nascido o nosso Santo António, que os italianos dizem de Pádua; a igreja de São João Baptista, o Aljube, a Casa dos Bicos, o Chafariz de El-Rei, e outros motivos patrimoniais, como o Campo das Cebolas e a Zona Ribeirinha. 

          Já há muito tempo que  não percorria esta histórica e nobre zona citadina, mas tenho ainda bem presentes aquelas árvores seculares que vingavam junto ao Aljube e que em vez de serem devidamente podadas e conservadas, como valores históricos que eram da cidade, foram entretanto simplesmete abatidas e por certo nem para madeira de caixão serviram.

           Mas como esta, também não sei a que titulo as Escadinhas do Quebra Costas, com entrada e saida para a Rua do Barão e de São João da Praça, passou a denominar-se Beco do Quebra Costas. Provavelmente que estes "golpes" de inteligência não dependem apenas da Rua Augusto Rosa..., mas também ou só... da Praça do Município. Restaurantes não, mas casas de  antiquários é que são cada vez mais. Manda quem pode e nem sempre quem sabe

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D