Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Padornelo mais enobrecido

por aquimetem, em 09.03.14

Se não fosse a distância, e tempo já programado para outro fim, bem gosto fazia em estar presente no lançamento deste minucioso trabalho bibliográfico sobre Padornelo, da autoria do conceituado historiógrafo Jofre de Lima Monteiro Alves. Estudioso fecundo que alimenta blogs como: A ILUMINURA,  http://iluminura.blogs.sapo.pt , página sobre ex-libris e Artes; PADORNELOhttp://padornelo.blogs.sapo.pt, blogue acerca da terra, das pessoas, dos costumes e da História de PADORNELO, freguesia do concelho de Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo; VILA FLOR em Florhttp://vilaflor.blogs.sapo.pt, blogue acerca de Vila Flor, do Nordeste Transmontano, em parceria com Maria de Fátima Amaral, Especiosa Sara Monteiro Alves e Ilídio Inocêncio Monteiro Alves. Outro seu blog dá por Escavar Em Ruínas, onde em post de 01 do corrente mês fez constar um apreciado comentário ao meu opúsculo Nossa Senhora da Graça - Na Fé dos Mareantes. Padornelo vai ficar mais enobrecido, e a etnografia mais rica com este trabalho histórico - bibliográfico do ilustre minhoto e dilecto regionalista que por residir fora do seu torrão mais amor lhe tem.

De um dos seus blogs transcrevo uma oração popular que em criança ouvi e cheguei a memorizar, esqueci-me dela por isso a recordo agora. Creio que era mais ou menos a mesma versão da que se reza no Minho; Mondim de Basto só pela margem de um rio é transmontano.  Já que não se vai ao lançamento da obra Padornelo, no próximo dia 23, vamos ao Padre-Nosso Pequenino.  

Versão de  Ponte da Barca:

Padre-Nosso Pequenino

Quando Deus era menino

Pôs o pé no altar,

O sanguinho a pingar.

Tem-te, tem-te, Madalena,

Não no queiras alimpar,

Que estas são cinco chagas

Que o Senhor tem pra passar.

E por fim, ainda esta versão minhota, que é, todavia, muito parecida a uma loa beirã que conheço de ouvido e letra:

Padre-Nosso Pequenino

Quando Deus era menino

Tinha as chaves do Paraíso,

Quem las deu, que las daria,

Foi o filho da Virgem Maria.

Cruz no monte,

Cruz na fonte,

Nunca o Diabo nos encontre

Nem de noite, nem de dia

Nem ao fim do meio-dia.

Já os galos cantam, cantam,

Já os anjos se alevantam,

Já o Senhor vai para a cruz

Para sempre amém, Jesus.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:21



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D