Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



CCE19042011_00001 FOTO e ASSINATURA.jpg

Por: Barroso da Fonte

Talvez os meus leitores me julguem um bairrista doentio por dar este titulo à  minha crónica quinzenal. Mas não é verdade. Luiz de Camões, sendo o autor Português mais conhecido de todos os tempos, ainda se presta a muitas duvida e em diversos ângulos existenciais. Nomeadamente quanto ás origens. Celebra-se em 10 de Junho, erradamente, o Dia de Portugal e das Comunidades. E até se guarda feriado nacional. Apenas e só pelo facto de ele ter falecido nesse dia. Ora antes dele já Portugal existia graças a Afonso Henriques e a Nuno Alvares Pereira, para somente relembrar os dois mais famosos generais Portugueses.

Trago este tema à  liça por dois motivos: acabei de conhecer mais uma inspirada obra do sócio Honorário da Academia de Letras de Trás-os-Montes e Doutor Honoris Causae, pela Universidade  «Pro-Deo» de Nova Iorque (2002), Abel de Lacerda Botelho. Nasceu em Vila Real, em 13 de Maio de 1944, licenciou-se em Direito na Universidade de Coimbra. Diplomou-se em Direito Internacional Comparado, em Estrasburgo (1968) e, foi oficial miliciano durante quatro anos, prestando serviço em Moçambique, entre Dezembro de 1969 e Dezembro de 1971. Dessa obra de 212 paginas, a que chamou: Re-velando os Lusíadas, desenvolve um ensaio filosófico que galvaniza, emociona e profetiza os conceitos, as directrizes e as coordenadas da Portugalidade em alta definição.

Este desígnio patriótico é inato na personalidade do Abel de Lacerda que certamente lhe corre nas veias e nos cromossomas do leite materno. Terá sido essa seiva que o levou a criar, em 1986, a Fundação Lusíada e em 2001 a Ordem de Ourique - Associação Promotora da Portugalidade. Embora radicado em Lisboa, como jurista de longo curso, lidera estas duas prestigiadas Instituições culturais de que é responsável nacional e que congregam à  sua volta, alguns dos poucos valores materiais que enformam o orgulho de ser Português.

Este seu emocionante livro acaba de vir a publico em duas edições distintas, uma das quais especial. Em capa dura, de 153 exemplares numerados e rubricados pelo Autor. A coordenação editorial tem o cunho do conhecido editor e autor Paulo Samuel e a edição traz a chancela de Trás-os-Montes- Atlântica Nova, bem com os símbolos da Fundação  Lusíada e da Ordem de Ourique.

Resta-me referir que não devo deixar de adicionar a edição nº 17 da Revista Aquae Flaviae, referente a Junho de 1997 que dedica as suas 224 paginas integralmente dedicadas à «Família Flaviense de Luí­s Vaz de Camões». Joaquim Veríssimo Serrão, no prefacio que assina nessa edição da Revista, credibiliza quanto se escreveu em abono da tese do nascimento de Camões em Vilar de Nantes. Há  viários e qualificados estudos que apontam a zona do Alto Tâmega como berço do patriarca da Lingua Portuguesa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:36



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D