Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Até breve!

por aquimetem, em 20.01.13

          Era das peças mais bonitas e frondosas do jardim, que vi plantar e crescer, e agora ser derrubada pelo forte vendaval que no passado dia 19, sábado, se abateu por todo o país.

         Como a magnólia também um pinheiro de jardim que pelo Natal costumava enfeitar com luzes coloridas teve a mesma sorte deixando espaço livre para outro qualquer arbusto

         A vida dos vegetais no nascer e morrer é como a nossa, se não for de novo vai de velho, de morte natural, doença ou morte matada. Nisto, até os fortes, por vezes, vão à frente dos mais débeis; que o diga esta pequena planta que deixando-se vergar pela força do vento resistiu e venceu, ao contrário da magnólia e do pinheiro que de tranco forte, não vergando, partiram. Uma lição a tirar.

            Foi um fim de semana muito curto e o temporal também não ajudou nada, mesmo assim deu para matar saudades e passar uns bons momentos de cavaqueira. Á porta de casa deixei o esqueleto das  arvores caídas que se entretanto o vento as não levar dali a lareira háde consumir. 

         O vídeo mostra a força do vendaval e soprar forte do vento nessa manhã.

 

          Além dos arbustos  foi a laranjeira que largou as laranjas de tanto ser abanada. Impávida e serena uma ovelha com as crias que ali passaram a noite, assiste ao ventoso espectáculo que não pode descrever por ser irracional

 

          E como combinado, uma vez que com o vendaval a Bajouca ficou sem luz, no fim de almoço arrancamos pela A17 em direcção a Lisboa. Com muita pena minha e da minha cara metade. Até breve!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:25


4 comentários

De an a 21.01.2013 às 11:21

De lamentar mesmo...,mas ainda bem que estavam lá.
Vão nascer outra vez.É preciso é saúde.

De aquimetem a 21.01.2013 às 13:59

Obrigado caríssima, é isso mesmo pois havendo saúde o resto Deus dá por acréscimo Bem haja, mas custa ver tombar o que nos é querido e vimos crescer. E por azar tudo em ano de crise. Que o Ano da Fé nos ajude e dê aquilo que o vento levou

De maripossa a 29.01.2013 às 19:31

Olá amigo.É lamentável o estrago que o mau tempo provocou,mas nada podemos fazer contra a mãe natureza.Tudo tem o seu limite e o tempo mais que ninguém,tanto nos dá prazer e alegria,como transporta até nós muita tristeza,só um tem esse poder.
Que tudo já esteja restabelecido,e desejos de saúde.
Abraço de amizade

De aquimetem a 06.02.2013 às 14:24

"As palavras que ficam por dizer" tem sido o meu costume, mas sempre que me lembro lá passo pelo vosso(s) didatico(s) blog(s) que muito aprecio. Foi aquelas arvóres de jardim lá se foram, mas tambem lhe digo: arvore que não dá fruto o que é que merece? Temos que ser optimistas. Saúde é que precisamos, como muito bem recorda. Um abraço. Ainda não arranjamos motivo para um encontro fisico. Que seja este anos se Deus deixar. Bem haja

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D