Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




No meio da ponte

por aquimetem, em 02.09.11

          Após cerca de duas horas de bom rodar, por uma estrada razoável e marginada por uma sedutora e alargada paisagem rústica, deixamos para trás Cabo Delegado para atravessada uma bela ponte salazarista, sobre o rio Lúrio, entrar na provincia de Nampula. O destino agora é a Ilha de Moçambique historicamente a mais importante cidade moçambicana que descoberta por Vasco da Gama em 1498 passou desde então a ser ponto estratégico para iniciar a expansão para outras regiões do país e por isso capital de Moçambique colonial até 1898 altura em que Lourenço Marques, hoje Maputo, lhe tomou o privilégio.

 

           Em África é mesmo assim: não se mede as distâncias por km, mas sim por horas, dado que nas  partidas e chegadas o tempo é que determina e marca. O verde azulado com que se reveste o arquipélago das Quirimbas deixa de se notar logo a partir de Pemba para dar lugar a uma paisagem rusticamente dilatada por um litoral com afloramentos graníticos gigantescos a causar espanto.  Vai ser este o panorama durante mais umas  três horas de viagem que separam o rio Lúrio da Ilha de Moçambique.         

         Plantações de beterraba

          Terra à espera de braços.....

          Uma agulha no deserto.... para não dizer no palheiro. Estruturas industriais e comerciais

        Aqui  deixamos a estrada de Nacala para tomar e seguir a da Ilha. 

          Aqui um placar deixa ver o preçário das portagens da ponte para a Ilha

         A entrada na ponte

 

           E cá estamos nós, como o tolo no meio da ponte  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:26


6 comentários

De an a 02.09.2011 às 12:20

Este por-do sol aqui debaixo, em Ilhéus do IBO é um encanto!

Esta ponte aqui do Rio Lúrio, vossemecê não a registaria aqui, se não fosse salazarista...acho o conterrâneo um bocadinho de nada, só, tendencioso...parece-me..., mas levemente...

Estas paisagens planas fazem-me lembrar um pouco o nosso Alentejo.Embora o Alentejo esteja mais verdinho.

Gostei da expressão-"terra à espera de mãos"; bora lá tudo trabalhar para Moçambique!

De aquimetem a 02.09.2011 às 14:33

Mais que tendencioso, sou cada vez mais revir alho , e só quem ainda não se apercebeu do buraco em que aqueles em quem eu também acreditei nos meteram é que continuam à espera do milagre das rosas...Que vão pagar caro. Há diferenças: com SALAZAR não se podia falar, mas havia trabalho, e até forçado se necessário..., com estes novatos sem capacidade intelectual pode-se falar à vontade que ninguém nos ouve....

De an a 02.09.2011 às 14:54

...pois , como eu disse...só levemente tendencioso...

E por falar em tendências, o que iria o Sócrates fazer, ao encontrar-se com a D.Merkel e o Zapatero esta semana?-Valha-me Nossa Senhora... , mas ele não estava já empregado?- Que desassossego com ele...

De aquimetem a 02.09.2011 às 15:52

O Passos Coelho já me está a desiludir. deixando andar à solta quem pôs o País num oito. Em vez de obrigar os corruptos políticos a pagar a fatura, está a deixá-los à solta e a permitir que sejam sempre os mesmo a ter que a pagar a fatura... Assim não vai longe... e daqui a 4 anos lá voltamos nós aos "xuxas", até que um Salazar volte e ponha as coisas na ordem. Mandando esta canalha toda de férias...para um qualquer tarrafa,l cedido para o efeito, em ilha de dificil ascesso. Não é praga que rogo, mas convite a férias longas....

De an a 13.09.2011 às 11:43

...férias longas...?! Não férias longas como as do senhor...são eternas...!
Como é? VAMOS FICAR AQUI NO MEIO DA PONTE ?

De aquimetem a 13.09.2011 às 11:59

Já que tanto me pede vamos então sair e ver mais um bocadinho deste espaço de terra que o Indico rodeia e Camões cantou. Um abraço

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D