Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilha de Mocambique

por aquimetem, em 18.07.11

 

 

           Esta pérola moçambicana do Indico que com a Cabeceira Pequena o navegador Vasco da Gama deu, primeiro, a conhecer aos europeus; e que durante centenas de anos Portugal chamou sua, tem para oferecer ao visitante além do acolhedor espaço geográfico  logo também um diversificado e genuíno património construído que com a vertente histórica que lhe anda associado dão à Ilha  de Mocambique um estatuto raro de igualar por  muitas outras cidades do mundo civilizado.  Do seu património vale destacar: Fortaleza de  São Sebastião, Hospital - que foi dos mais importantes da África Austral -, igreja da Misericórdia e Museu da Ilha (Palácio de São Paulo). Isto na Cidade de Pedra e Cal, pois em relação Cidade de Macuti ressai o Forte de Santo António, a Cisterna da Ponta da Ilha, a igreja de Nossa Senhora da Saúde, uma Mesquita e a Ponte com 3,2km de comprimento  a ligar a Ilha à terra firme, e sem fazer seleccão… Tanto os ”pedra e cal” como os ”macuti” podem circular misturados. Nem deu para apreciar, mas em hora de muito movimento dever ser curioso ver os carros encostar nos desvios para darem passagem uns aos outros. Ao atravessá-la, na manhã do passado dia 2, em demanda de Quelimane senti um vaidoso sentimento de portugalidade e veio-me à mente o homem das grandes pontes : Arrábida (Porto), Salazar(Lisboa), e entre outras, também esta, em 1966, na Ilha de  Mocambique.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:21


2 comentários

De mg a 21.07.2011 às 16:44

Bonita foto! Mar e céu, da mesma cor azul, a confundirem-se...
Quer dizer que com essas marcas todas portuguesas, se anda sentindo em casa.
Pelos vistos nem aí se esquece do Salazar...mas realmente ele construiu tanta ponte que fazia falta...vá lá, vá lá...
Ainda bem que anda satisfeito e nos vai mostrando por onde anda a bulir!

De aquimetem a 26.07.2011 às 09:27

Os patriotas e honrados portugueses sabem distnguir o trigo do joio e por isso valorizar que que tem valor. O resto é lixo e a prova vê-se...cá e lá. Eu também fui dos que acreditei...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D