Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Foi dito e feito

por aquimetem, em 12.05.09

 

         Após a visita fugaz aos principais pontos cimeiros que nos dão pela cúpula uma imagem global de Luanda, agora havia que descer à base e sentir na pele a confusão que campeia pelas ruas de toda esta desordenada cidade. Depois,  quem  passa a noite a voar do aeroporto internacional da  Portela, para o seu similar 4 de Fevereiro, certamente que farto de olhar  para baixo está ele. Também o estômago começava a dar sinais de vida, e por isso há que procurar aonde almoçar. Para quem como eu visita a cidade pela primeira vez, o local a seleccionar tem que ser a Ilha de  Luanda ou Ilha do Cabo, visto que foi ali que Luanda teve  origem, e lá está a igreja do Cabo a testemunhar o facto. Para o efeito foi só tomar a direcção da marginal e penetrar na ILHA, que rigorosamente já se não pode considerar  como tal, pois está ligada por terra a Luanda, e por isso é antes uma península.

           Escolhida a zona preferida, ficou a cidade para trás, que vista do lado oposto se torna muito mais imponente. Na Ilha e antes de escolher onde abancar para o almoço, há que primeiro visitar o mais antigo templo de Angola, a igreja de Nª.Sª. do Cabo (1575), e percorrer a Ilha em toda a sua extensão (uns 7 ou 8 km) para depois no Clube Naval trocar o bom marisco por uma  feijoada à moda do Porto. 

          Aqui deixo algumas imagens de um espaço  que quando devidamente aproveitado em termos de turismo e lazer será mais um dos  muitos locais privilegiados que Luanda tem para ofertar aos visitantes. Ora vejam:

 

        O topo da Ilha, ao lado a cidade, e  barra com os barcos de

grande porte à espera de oportunidade para carga ou descarga.

           Ainda no topo da Ilha, onde para além do farol também

 o asfalto recordam presença portuguesa ... 

           Farol da Ilha

           Como este, muitos outros contrastes da Ilha:

          Num destes bares, vizinhos do Farol tomei um aperitivo,

antes de almoçar

            Barracas como esta são o espelho baço da Ilha e

da cidade

           Este que foi um bom, e o primeiro, hotel da Ilha, está

assim! É um pouco a imagem  actual não só de Angola, como 

também a de Portugal. 

 

           Clube Naval da  Ilha de Luanda

 

           Os barquinhos...na baia. 

           Foto tirada do restaurante do Clube Naval, onde se

vê o Forte de São Miguel, que os "Filipes" de Espanha  

mandaram fazer, e no qual se encontra instalado o Museu

das Força Armadas. Fica no morro antes da entrada na Ilha

           A vida em Luanda, como em toda a terra angolana é

cara, eu diria mesmo, muito cara. Não se admirem por isso

que no fim do almoço e da visita à Ilha, tenha passado por um

supermercado da baixa para comprar produtos para um

jantar caseiro....Foi dito e feito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:24


9 comentários

De touaqui42 a 15.05.2009 às 15:04

Ora que bom
Reviver a ILHA
Boas fotos que mostra a panoramica da ILHA
Vida cara, isso já se sabia.
Estive ai em 1967/68

De mg a 16.05.2009 às 12:41

Aqui, já melhora a paisagem.Não sabia que Luanda começou com a Ilha do Cabo!?
Então teve dificuldade em comer FORA?
Alugava um barquinho particular e ia à Ilha do Mussulo, é onde vão os de cá , lá instalados ,com com empregados por conta deles e com meia dúzia de tostões no bolso...até isto dar pelo menos, é uma farturinha...Estes , conheço alguns, quando chegam cá, e nalgum sitio público não são atendidos logo que entendem,continuam a resmungar como dantes: -Parece que estamos a lidar com pretos!!...Já eu presenciei pessoalmente.O pessoal da média que visita, se não tem lá ninguém a apoiar, não se safa,não há margem de manobra.Mas pronto,
para a outra vez faz as refeições no Mussulo, e acabou-se.


De touaqui42 a 16.05.2009 às 13:24

mg, conheço a ILHA DO MUSSULO também.
Cheia de palmeiras
E praias lindas
Mas sim claro que para se ir para lá teria que ser de barco ou a nado.
mas atenção mg que respondeu ao touaqui42 e não ao aquimetem
um ab

De mg a 16.05.2009 às 14:04

olá! não queria escrever malcriadamente por cima do coment. do Senhor e como ´sou calhau transmontano, vá de fazer asneiras.Mas já agora aproveito para me juntar a si naquele seu post do Sócrates não contar com o senhor para lhe dar a maioria:Com o meu voto , que nem lhe passe pela cabeça contar!!Estou mesmo ao ladinho do Sr!
É que tentei entrar no seu blog e não sei o que se passou, escrevi duas vezes e nunca entrava; mas realmente" guardado está o bocado"
Tem tido uns belos posts , parabens!
Desejo um optimo fim de semana!
O conterrâneo deve andar todo entretido lá com as fotos onde discursou, todo vaidoso que nem diz nada...

De touaqui42 a 17.05.2009 às 23:06

Nada de calhaus
Somos uns barras nas NOVAS OPORTUNIDADES desta MODERNICE da INTERNET.
S+ que não nos oferecem MAGALHÃES.
Mas claro que o "TAL" vSÓCRATES não IRIA oferecer um MAGALHÃES a quem não tenta VOTAR NELE.
Mas que importa
E ao que parece o PARTIDO DA ABSTENÇÃO já vai nos 65%.
Ob pela sua visita ao meu blog
Afinal não estou sózinho no tal pensamento EM NÃO VOTAR SÓCRATES
um ab

De mg a 20.05.2009 às 00:21

Penso que não estamos só os dois no pensamento do
não ao Socrates, CREDO EM CRUZ, SANTO NOME DE JESUS!-tenho a certeza que quase todos já vimos a peça que ali está;cheira a trambiqueiro à distancia.
Tenho uma esperança que até o Conterrâneo daqui do blog, lhe deve ter uma certa alergia; e daí não sei, agora depois de vir das Áfricas,,,?!
Respeitosamente

De aquimetem a 16.05.2009 às 14:13

Mas certamente conheceu-a limpa e acolhedora, bem como a sua reserva de flora local que não visitei. Oxalá os políticos saibam reconstruir o que destruíram

De Maria Esteves a 07.09.2009 às 11:45

Sem querer "viajei" por Luanda com as suas fotos. Mas… li que o “Forte de São Miguel” foi mandado fazer pelos “Filipes” de Espanha. A FORTALEZA (e não forte...) DE S.MIGUEL foi mandada edificar – ISSO SIM - pelos portugueses em 1575, sendo sido a primeira fortaleza edificada em Angola, neste caso em Luanda.
Os espanhóis NUNCA tiveram a soberania de Angola! Escuso-me de contar a história pois existem milhares de sites na Internet que a contam, basta procurar os que são mais credíveis. Vivi 25 anos em Luanda e regressei devido à descolonização traumática que ocorreu devido ao golpe de estado de 25 de Abril de 1974, em Portugal, tendo regressado a este país na ponte aérea de 1975.
Cumprimentos.
Maria Esteves

De aquimetem a 07.09.2009 às 18:02

Muito obrigado pela sua achega.Eu na altura apenas me ocorreu realçar o labor da nova construção dessa fortaleza que se diz ocorreu em 1634, portanto no reinado do Império da União Ibérica ou dos Filipes. Em face disso a minha confusão! E assim, não só ignorei o patriotismo de um Paulo Dias de Novais que pelos vistos em 1575 ordenou a fortificação daquele morro, como atribui a fortaleza a quem nunca dela foi senhor....Bem haja pela visita e reposição da verdade que nos é descrita como tal.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D