Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



barroso_da_fonte.jpg

De Barroso da Fonte

Sobre João Santos Fernandes li no posted by Paulo Salvador que «nasceu em Lisboa, mas esteve em Moçambique, conviveu com o irmão de Joaquim Chissano, fez parte da Comissão de Extinção da Pide/DGS e integrou o QG da Nato, em Bruxelas. Esteve ligado aos serviços de informações secretas. Um coronel que, sabendo mais do que pode contar, revela detalhes da história que por vezes nos escapam e abre alguns dos dossieres secretos de Portugal e África».
Este cidadão, com tão relevante percurso militar, académico, literário e cívico, alertou, por e-mail, os seus confrades da efeméride que ocorre no dia 13 de Maio. Quando numa comunidade envolvente como a Lusófona, se respira Portugalidade transversal à Lusofonia, com membros que se estimam, se respeitam e se revêm nos seus líderes, é prova inequívoca de que o mérito individual, não é palavra vã. Daí que seja legítimo aproveitar a coincidência deste aniversário para realçar o simbolismo da data, a partir do lamiré de um membro que nos convida a «cantar os parabéns a você». Revejo-me na mensagem recebida e, como não serei capaz de expressar-me tão fielmente, faço minha, essa mensagem que torno pública, contando com benevolência do confrade da Fundação Lusíada e da Ordem de Ourique, quando passam os 877 anos da Batalha do mesmo nome.
«Fazer anos, a 13 de Maio,no 30º Aniversário da Fundação Lusíada (1986-2016), com vasto trabalho realizado, publicado, partilhado e interligado com muitas parcerias, protocolos e partilhas nacionais e estrangeiras, guiando ainda uma Ordem de Ourique já com 15 anos, merece de todos nós uma prenda de grande amizade, reiterando ao Dr. Abel A.M. de Lacerda Botelho o que já lhe manifestámos de apreço este ano no Clube Eça de Queiroz.
Ao longo de uma carreira de advogado e de lavrador do Douro, ora com mais ou menos clientes com causas, ora com mais ou menos parra com e sem uvas, a sua filantropia e mecenato sem alardo social, a sua honesta irreverência nas palavras, mais na escrita que na oralidade, mas sem ressentimentos perante algumas injustiças que lhe tenho visto acontecer, fizeram-me amigo do «peito» de Abel Lacerda há muitos anos, desejando-lhe, nesta mensagem e com o augúrio da minha prece, que muitos e longos anos ainda continue a repartir connosco a seiva que nos tem unido a todos nós, conquanto oiçamos os seus queixumes que pouco participamos em encontros, pouco cliquemos os «sítios» da Fundação Lusíada e da Ordem de Ourique, não arregimentemos novos Membros para perpetuarmos este nosso legado que não pode morrer.
Neste dia 13 de Maio não é de uma prenda material que este «Patriarca» precisa, mas de uma palavra da nossa parte de alento, de gratidão e de esperança, dizendo-lhe que estamos presentes, pois, tendo eu vivido numa guerra e sendo um comandante ainda muito novo em África, sempre soube que para um ser humano, em momentos onde vacilamos perante um eventual (mas admissível) devir de vida de incerteza, risco e mudança é na solidariedade expressiva que a coragem e a esperança residem.
Muitos não puderam ver o brilho e a alegria do olhar de Abel Lacerda, em Vila de Rei, mas os amigos presentes sentiram a sua felicidade».
Gratificante lembrança esta do meu confrade da Ordem de Ourique, Cor. João Santos Fernandes. E honra ao ilustre Transmontano e Duriense Dr. Abel de Lacerda Botelho que tanto tem pugnado, pela difusão da Portugalidade, ora servindo-a como miliciano, ora investido, em bens pessoais, em profissionalismo e em esforço intelectual e físico para engrandecimento dos valores que têm a ver com o orgulho de ser Português

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:25



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D