Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Fazer ninho em S. Bento

por aquimetem, em 28.05.14

 

 

          Mais uma vez os portugueses foram chamados a “escolher” os seus representantes para o Parlamento Europeu. E como também ultimamente tem vindo a suceder  mostraram uma vez mais o seu desinteresse no ir votar. Sinal que os partidos estão a perder a capacidade de mobilizar os simpatizantes e a corrupção a desacreditar a confiança nos políticos. O tempo em que se dizia que “o segredo de um bom politico é prometer o que vai dar amanhã, e depois ao outro dia saber explicar o motivo porque não deu” é chão que já deu uvas. Hoje as pessoas já não vão em promessas que não sejam as de cariz religioso, e a prova disso tudo está no que aconteceu no passado dia 25, em que apenas 34% do eleitorado português votou, e  mesmo esse com 4,41% em branco, e nulos 3,06%. Não pode por isso nenhuma força partidária ter o descaramento de cantar vitória, pode sim é pedir desculpa aos 66, 1% do eleitorado que ficou em casa por não acreditar em quaisquer delas. Por isso devem todos baixar a bolinha e reflectir no que aconteceu, e pode continuar acontecer ou mesmo aumentar, oque é muito grave em democracia. Dos tais….34%, ficou o PS, com 31,45%; a coligação PSD-CDS, com 27, 71%; PCP-PEV, com 12,68%; o MPT, com 7,15% e o B.E., com 4,56%. As restantes forças concorrentes não elegeram nenhum elemento, mas deixaram a sua mensagem que certamente também foi mal transmitida. O partido do Governo, não foi muito penalizado, como supunha, o que demonstra haver na maioria do eleitorado um certo sentido de responsabilidade que nestes actos deve existir. As medidas de austeridade com que todos temos sido afectados foram desculpadas pois não são por certo fruto de um masoquismo governamental, mas o resultado do que foi, até não há muito, uma politica de facilitismo a incitar o consumismo desregrado e que agora ao chegar a hora da verdade, de pagar as favas, todos se queixam, pois ninguém escapa. Mas como sempre, o mexilhão é quem mais sente. Vamos esperar para ver, mas ninguém se admire se em 2015 o povo voltar a votar Passos Coelho. Não é por mero acaso que António Costa, já pensa deixar Lisboa sem presidente de Câmara, para substituir Seguro no PS. É que aqui ao lado, os espanhóis, que estão na mesma situação que nós, os portugueses, não foram em cantigas da esquerda ou da direita e, nas eleições de domingo, votaram em quem,  ao leme, está a tentar salvar o barco. Este é o receio daqueles que  estão à  espera de fazer ninho em São Bento

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:48


Invasão espanhola

por aquimetem, em 25.05.14

          Lisboa este ultimo fim de semana foi espanhola e vibrou com a alegria que os nossos vizinhos espalharam por tudo quanto é canto da cidade. O alvo era o Estádio da Luz, onde às 19:45h o Real e a Atlético de Madrid se iam defrontar para a final da Liga Milionária.  Milhares de adeptos de ambas as equipas vieram de toda a Espanha, por certo seguros que a Taça ia para Madrid e que também uma formação ia ser derrotada.  

Um tinha que ganhar. Foi o Real que esteve a perder por 0-1 até aos 93m. Só no prolongamento virou o resultado para 4-1. Era sábado e como tal uma visita ao Santuário de Nossa Senhora da Luz, fica bem num dia desses; e porque no mês de Maio, uma "romaria" ainda melhor. Isto para dizer que também o Largo da Luz se disponibilizou franqueando o seu espaço aos comerciantes de restauração ambulante e de bandeiras e cachecóis desportivos. 

          Terminada a " Romaria" vim apanhar o Metro ao C. Militar/Luz, e perante o mar de gente nunca visto, entre o Colombo e o Estádio da Luz. puxei da máquina e vai de fotografar. Só visto porque contado não mostra nada. Mas importa dizer que são duas grandes equipes, e duas grandes campeãs. O Real Madrid fundado a 06 de Março de 1902, pelos irmãos Juan Padrós e Carlos Padrós, com o titulo de Madrid Foot-Ball, viria depois, em 1920, a receber a dignidade de Real, que lhe foi atribuída pelo Rei Afonso XIII. Participa na 1ª Divisão da Espanha desde que esta foi criada em 1929.

         Fundado com o nome de Athletic Club de Madrid por estudantes bascos afectos ao Athletic Bilbao, deixou de ser uma  filial deste, em 1921, para  se  tornar no popular clube madrileno, e rival do seu aristocrático vizinho.

O vídeo mostra um pouco do que foi a invasão espanhola

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17


Ali ou noutro lugar

por aquimetem, em 12.05.14

          Fazer um retiro é sair temporariamente da nossa actividade normal para dedicar esse tempo a conversar com Deus e reflectir sobre a própria existência. Há diversas formas de lhe dar concretização, mas os marcados pelo "silêncio", onde não há conversa entre os circunstantes são os mais mais praticados e norma da Prelatura do Opus Dei. Neles alternam-se pregações, intervalos de silêncio e orações comunitárias como o terço e a Missa. Acabo de fazer um que teve São Pedro de Penaferrim por cenário e muito contribuiu para retemperar o espírito e fortalecer a alma.

           O panorama paisagístico da bela Sintra seduz e convida a viver alegre e feliz estes momentos reconfortantes que surgem quando  afastados da barafunda quotidiana nos deixamos embalar pelos encantos da beleza natural. Li algures onde se dizia  que por regra "os retiros" eram realizados em sítios e regiões afastadas das cidades, de modo a facilitar a reflexão e o silêncio. Tem certa lógica uma vez que a perfeição da natureza tem um importante papel para a descoberta da beleza de Deus e da vida.  

 

           Em Penaferrim, encontrei, há décadas, um desses lugares maravilhosos, ideais para em silêncio desfrutando duma  luxuriante e nobre vegetação, conversar ..... com Deus e ouvir....a Sua voz. Aqui venho sempre que posso fazer um retiro anual que todos deviam fazer para carregar as baterias de energia física e espiritual. Não é   costume novo, pois está divulgado que imitando o exemplo de Jesus, cristãos de todos os tempos se beneficiam deste exercício espiritual para fazer as escolhas certas rumo à felicidade pessoal e do próximo. Deixei para Maio, o meu deste ano, por ser mês de Maria e Tempo Pascal a decorrer.Tempo que ajudou com noites e manhãs frescas, e nevoeiro cerrado. O tradicional "capacete" de Sintra e a frescura destes dias ao se  fazer notar, influíram num melhor aproveitamento do tempo, por convidar a um maior recolhimento no interior do conhecido Centro de Convívios de Penaferrim. Só no sábado, dia 10, manhã cedo é que sai apanhar ar freco  e fazer uma "romaria"  a uma capelinha de invocação mariana perdida na cerca da Quinta.

         

         Com inicio na Quinta-feira, dia 08, 20:00h, o retiro terminou às 16:00h de domingo, dia 11. Dali vimos mais ricos e com mais que dar de bom ao nosso semelhante. Para o ano há mais ali ou noutro lugar

 

O vídeo foi feito da janela do meu quarto, e mostra parte da quinta

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:28


Pescador, só em Sesimbra

por aquimetem, em 04.05.14

          Depois da missa dominical das 09:00h, na igreja de NS do Amparo, de Benfica,  um grupo daqueles homens que São Josemaria Escrivá considerava de "barba rijja", na manhã do 1º de Maio, Dia do Trabalhador e de São José Operário, arrancou em direcção a Sul e só parou na Azambujeira (Sesimbra) à procura do "Pescador". Não havia, mas uma ginjinha caseira, que o amável proprietário do KATHYS, graciosamente nos ofereceu, substituiu bem a tradicional bebida sesimbrense. Sou "Dragão", mas numa primeira oportunidade, hei-de ir aquele restaurante para conviver com as "Águias"....

           O alvo era a Serra da Azóia, onde é tradição  ir nesse dia fazer um romaria e comer uma feijoada, como noutra ocasião já relatei, assim: "Para acolhimento temos a casa do Dr. Alfredo, sempre disponível, e com espaço agradável e convidativo ao bom aproveitamento do propósito que nos leva ali, em dia de São José Operário: fazer uma romaria a Nossa Senhora. A romaria de que fá-lo é prática dos fieis do Opus Dei e consta de rezar três (3) terços em visita a um santuário mariano. Na ida recita-se o anterior ao dia em que se faz a romaria; no santuário, reza-se o terço do dia, com mais três ave-marias, salve-rainha e ladainha a Nossa Senhora; e no regresso, recita-se o terço do dia seguinte. No Opus Dei este costume encaixa muito bem dado o apostolado ser de confidência e amizade e estas "romarias" por norma não irem além de dois ou três fieis juntos. Salvo quando a romaria é em grupo", como acontece nestas ocasiões.

           Antes do almoço, houve uma palestra e foi visto um vídeo acerca de São Josemaria Escrivá, e depois do almoço foi um cafezinho no bar do Grupo Desportivo União da Azóia. Dali partimos para o vizinho Santuário de Nossa Senhora do Cabo (Espichel), onde se rezou o terço do dia.

          Após esta norma, o grupo separou-se e cada um, sozinho ou acompanhado, no regresso a casa rezou o 3º terço que faz parte desta mariana romaria.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:56


Tradições da Bajouca

por aquimetem, em 03.05.14

  

          Ouvi há muitos anos um pregador bem humorado dizer por graça que : “Muito comer, pouco rezar e nada pecar, Deus leva a bom lugar”. Não se tratando de doutrina de igreja, nem norma a cumprir, o dito tem certa lógica e se não fosse a Gula e a  Preguiça que se fazem notar no dito, até tinha cabimento. Mas com franqueza, dias como este ultimo  27 de Abril não são para se repetir muitas vezes ao ano. Em primeiro lugar porque é preciso ter pedalada, que já começa a faltar. E em segundo, porque nem sempre há convites e oportunidades destas. Até porque a Ângela também só uma vez por ano é que, em Abril, festeja o seu nascimento. Ah! Devo dizer que a Ângela é um personagem do livro Nossa Senhora da Graça-Na Fé dos Mareantes, é só para saberem.

 

          O certo é que depois das sopas e do lanche, às 18:00h estava noutra mesa recheada, uma vez que me não neguei ao honroso convite.

  

          Pena tive de não poder emparceirar com os garfos ali presentes, mas a barriga tem medida e só lá cabe aquela conta. Um copo em dias de festa é que vai sempre desde que a cabeça permita. E não esquecer que também na véspera fez anos a Helena, uma tia materna da Ângela que também na farra faz bem o seu papel. 

          Em animado ambiente lá fomos encontrar também a consagrada escultora de pedra Adália Alberto, tia paterna da aniversariante, que conheço melhor do facebook que pelo relacionamento pessoal. Foi de facto um Domingo da Misericórdia que valeu por isso mesmo, e que começou no Sábado, dia 26 com a recepção das Boas Festas, e o que à sua volta noticiei em terrasdolis; a seguir foram as sopas, como em Ao Sabor do tempo se relatou; depois o lanche que Na retaguarda ficou registado. E para encerrar a jornada escolhemos Portugal, minha terra. São blogs a consultar.

 

          Casa e barriga cheias quando tudo apostos foi o cantar dos parabéns e retalhar do bolo com a mãe da Ângela a dar ajuda no acender das belas.

          Aqui o pai no meio da maralha para manter a ordem

          Parabéns cantados, bolo repartido deu-se a liberdade à gente nova que a festa é deles

           Há garrafas de tinto e branco, mas só para uso dos graúdos. Nem todas ficaram cheias.

           Aqui só bolos, laranjada ou água para acompanhar. A não ser que o David Alberto, tio paterno da Ângela, me engane.

          E da Vieira de Leiria, que até é da Marinha Grande, veio a D. Luzia e o Sr. Amílcar um simpático casal muito amigo dos pais da Ângela, e não só deles, acrescento eu.

          Verdade verdadinha é que a minha presença na Bajouca durante o tempo nobre das Festas Pascais deste ano foi ocupada com festanças familiares e daquelas que deixam marca, como esta do aniversário da Ângela que feito no dia 14 jamais pensei que ia vê-la em festa rija. Como não à mal que não acabe, também não à bem que sempre dure, por isso de cara alegre lá vai o ti Américo, avô paterno da Ângela, regressar aos seus aposentos. Também não demorei muito pois ainda me quis despedir do grupo que deixei na Rua 17 de Dezembro, a ver vídeos com tradições da Bajouca

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:18


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D