Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




25 de Abril

por aquimetem, em 25.04.13

          Fez hoje 39 anos que descendo a Calçada da Ajuda por volta das 06;30h, fui surpreendido com a movimentação dos carros blindaddos que de Cavalaria7 estavam a sair sob comando do Coronel Romeiras. Aquela hora não havia ninguém na rua e a minha presença ali deve ter surpreendido o saudoso Militar que só depois de lhe explicar a razão é que me deixou passar. Nesse dia contava receber um conterrâneo meu que estava combinado chegar a Santa Apolónia no comboio das 08:00h. Na Praça Mousinho de Albuquerque, em frente ao Museu dos Coches, aguardei por um Eléctrico que nessa manhã não apareceu, deixando-me preocupado pois o conterrâneo era jovem e vinha entregue aos meus cuidados. Houve sorte porque essa viagem foi adiada.

          Do 25 de Abril já todos sabemos que se ficou a dever a um "movimento de militares" descontentes com a situação da guerra no então Ultramar Português e que tudo apontava impossível de alimentar pela via das armas. Sem formação politica e muito menos diplomática os "actores da revolução" são na sua maioria capitães, e muitos milicianos, que sem experiencia ora assumem ou entregam o poder aos políticos, mas em parte àqueles políticos que não conheciam a realidade do país, porque não viviam em Portugal. Daí resultou que 25 de Abril e 1º de Maio festejados em união e harmonia partidária só uma vez aconteceu e nela participei. Depois disso o negócio dos cravos entrou em decadência e hoje só na Assembleia da Republica os vi a enfeitar a sala pois nas ruas da baixa alfacinha apenas deterei um pintado em cartaz. 

           O povo que tem motivos fortes para se lamentar e acusar o governo de austeridade demasiada, não deve entretanto deixar-se arrastar por uma oposição que apenas está a fazer teatro porque vem aí as eleições e querem votos. Ninguém dá o que não tem e é graças à Troika que muitos dos que fomentam as greves e manifestações ainda vão recebendo os seus ordenados, alguns chorudos. Leiam "Os Bichos" de Torga, e atentem no ladino. Este Governo pode não ser o ideal, mas tem tido coragem de tentar reparar muitos dos erros que  os anteriores praticaram e ninguém condenou. E só por isso concordo com Sr. PR quando aconselha:«Os nossos agentes políticos, económicos e sociais têm de estar conscientes que deverão actuar num horizonte temporal mais amplo do que aquele que resulta dos calendários eleitorais». Do seu discurso que, por razões óbvias uma esquerda faz luxo não aplaudir, vale ter em atenção, este comentário: "Um aviso sério, carregado de adjectivos assertivos, e por várias vezes repetido ao longo do discurso do Presidente da República, esta quinta-feira, nas comemorações dos 39 anos da Revolução do 25 de Abril, no Parlamento. Cavaco Silva advertiu que «de uma vez por todas» é preciso que os partidos políticos compreendam «que a conflitualidade permanente e a ausência e consensos irão penalizar os próprios agentes políticos mas, acima de tudo, irão afectar gravemente o interesse nacional».

 

          O vídeo mostra  uma prova de atletismo com meta nos Restauradores e que sem cravos assinalou o 39ºaniversário do 25 de Abril

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:15


José La Feria

por aquimetem, em 15.04.13

           "Profissional extraordinário, senhor de uma excelente voz, era para toda a equipa um porto seguro", li da directora da Rádio Sim, Dina Isabel, que começou nas lides radiofónicas com José la Feria, na Rádio Comercial. Só há pouco descobri esta noticia, com fotos deste amigo com quem privei de perto e com ele fui director do nosso grupo onomástico. Com seu tio Dr.José Avelino Marques, o Prof. José Coelho de Sousa, o José Rui de Sá (Saiur), e outros, que também já partiram, muitas vezes jantamos juntos em animada e amistosa cavaqueira. Entretanto desfez-se o grupo e, com isso, a obrigação de nos reunirmos regularmente acabou. E da equipe já só resta um....

          A ultima vez que nos encontramos foi na tarde do dia 10/11/11, ele acabado de terminar a sua jornada e eu aguardando a entrada no Auditório da Rádio Renascença (Ao Chiado) para assistir a uma palestra a que na devida altura fiz referencia. Alguns meses depois calhei de descobrir a sua pág. no Facebook, e de pronto pedi para que me aceitasse como amigo. Não obtendo resposta, fiquei a pensar, cá com os meus botões...: "longe da vista, longe do coração". Também podia acontecer que não tivesse visto, mas o português gosta de fazer juízos....antecipados. O José Lá Feria soube agora que tinha falecido, e ainda estou para descobrir como é possível uma noticia destas me passar alheia. Mas passou. E o facto é que na manhã de 21 de Março de 2012, pelas 06:30h, este conceituado realizador de rádio, aos 59 anos, morreu, nos arredores de Lisboa (Estoril). Foi graças à Rádio Sim que soube do infausto acontecimento mediante a noticia: "Vamos homenagear a memória de José La Feria recordando esse espectáculo que contou com a presença de dezenas de fadistas, amigos e apreciadores de fado. Esta 5ª feira, depois das 10h da noite, na primeira hora da Casa de Fados… vai poder voltar a ouvir esse espectáculo em memória de José la Feria, porque faz hoje um ano que se fez silêncio e o seu fado terminou". Recorde-se que "José la Feria estava há três anos a trabalhar na Rádio Sim, onde realizava os programas "Praça Central", de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 13h00, e "Casa de Fados", aos sábados e domingos entre as 22h00 e 00h00". Lamentando a perda deste excelente amigo, de quem era grande admirador, das muitas imagens que dele tenho na retina, termino fixando-me na que guardo da Grande Noite do Fado de Lisboa, uma iniciativa da Casa da Impressa, que o teve por seu ultimo organizador e a Televisão transmitiu.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:26


Encanto musical

por aquimetem, em 14.04.13

          A paróquia de Santa Justa e Santa Rufina, que tem a igreja de São Domingos à baixa por sede paroquial é generosa no franquear as portas a eventos de natureza cultural que  satisfazem e cativam o gosto dos  apreciadores. Sempre assim aconteceu, mas  a nomeação do Padre Vítor Gonçalves como seu pároco veio aumentar essa valência dado a simpatia e carinho que ele nutre por tudo quanto seja cultura. Ontem, dia 13, Sábado Pascal, foi mais um dos dias em que tal sucedeu, com a  igreja quase cheia para assistir a um concerto integrado no programa O(s) Caminho(s) do Calvário.

           O vídeo mostra o final da tarde cultural.

 

          Espectáculo de musica vocal e instrumental de Quaresma e Pascoa desde a Idade Média ao séc. XXI, teve como interpretes os Coros: ARS MUSICA, MEC e A.S. Solidariedade, os seus principais actores. Os quais actuaram respectivamente sob direcção do Maestro Carlos Santos Silva, o Coro ARS MUSICA; do Maestro Vítor Roque Amaro, o Educ (Ant), Coro do MEC; e no Procantar, Coro da A.S. Solidariedade Profs, o mesmo Vítor Roque Amaro. Quase três horas de som harmonioso, de canto e encanto musical.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:32


Os amigos todos

por aquimetem, em 13.04.13

          No passado dia 12 de Outubro, dizia eu: "Desta vez faltou o Tomé, mas além de mim, as OGME continuaram ali bem representadas pelo belenense Fernando Pinto. O Pinto que foi meu amigo e camarada de trabalho, assim como mais outro dos participantes neste jantar - convívio que não foi do meu tempo e cujo nome não registei.Este cedo imigrou para a África do Sul, donde já regressou reformado. Tudo gente com sentimentos e valores que as gerações vindouras devem cultivar". Uns por um motivo, outros por outro, a vez chega a todos, e ontem, 12 de Abril, calhou-me a mim. Faltei. Já pedi desculpa, e se entretanto não houver nada de maior que o impeça, no próximo dia 25 de Outubro lá estarei no jantar - convívio que duas vezes por ano os ex-alunos da antiga Escola Primária Masculina, nº 61 do Altinho (Belém - Lisboa) costumam organizar.

          Para isso apenas aguardo que do Funchal venha o convite e a companhia amiga do distinto jurisconsulto M.Pegado, que da Madeira vem sempre propositadamente juntar-se aos seus antigos colegas de carteira. "Um bom exemplo para a juventude de hoje seguir e assim valorizar a pratica da fraternidade, dentro e fora do ambiente escolar. Virtude que também nunca tanto como hoje a sua falta se notou, na escola e no trabalho. Parabéns "juventude" belenense dos tempos do Matateu e do Ferrador do Altinho". Faltei nesta, mas vou procurar não faltar no próximo 25 de Outubro. E quero lá ver os amigos todos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:32


Parabéns à Dina Lopes

por aquimetem, em 07.04.13

           Em Maio de 2000, o Beato João Paulo II instituiu a Festa da Divina Misericórdia em toda a Igreja, desde então celebra-se no segundo Domingo de Páscoa. Surge com base nas revelações da Irmã Faustina Kowalska a quem Jesus prometeu: "Neste dia, estão abertas as entranhas da minha Misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha Misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das penas e culpas. Neste dia, estão abertas todas as comportas divinas pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de mim". Não o sacramento da Penitencia que procuro não descurar, mas a comunhão deste domingo recebi-a na igreja paroquial de São Lourenço, que teve por celebrante o pároco Sr. Padre José António.

          Após a Eucaristia dominical fui tomar um cafezinho ao Lg. do Coreto, ao Sr. António, e das obras  de "Santa Engrácia", ali em curso, tirei duas fotos que deixo para dar alarde....Obras que não sei se foram suspensas para protecção dos silos ditos arqueológicos, que ao fim de contas voltaram a ficar soterrados, se para controlar o tempo que falta para as autárquicas.... Isto de politiquices nunca se sabe os porquês.  

          Da parte de tarde fui visitar um familiar ao HL, e por lá me detive a tarde toda entretido com a companhia e a ver aquilo de que não sou grande apreciador: TV. Mas até tive sorte, porque no programa que vi, transmitido em directo de Barrancos, calhei de ver ali uma transmontana, minha coterrânea e conhecida, a falar dos  barranquenhos como sendo alentejana. Parabéns à Dina Lopes

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:08


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D