Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Festa de São Josemaria

por aquimetem, em 24.06.12

          Na próxima terça-feira, dia 26, faz anos que a porta mais estreita do Ceu se abriu  para receber São Josemaria Escrivá, fundador do Opus Dei, que é caminho de santificação no trabalho profissional e no cumprimento dos deveres quotidianos do cristão. Nascido, em Barbastro (Espanha), a 9 de Janeiro de 1902; faleceu, em Roma, a 26 de Junho de 1975. Ordenado sacerdote, a 28 de Março de 1925; logo, em 2 de Outubro de 1928, fundou o Opus Dei, por inspiração divina. Foi beatificado a 17 de Maio de 1992, e depois canonizado, a 6 de Outubro de 2002, também pelo beato João Paulo II. Grande devoto de Nossa Senhora de Fátima, cujo Altar do Mundo muitas vezes visitou, São Josemaria tinha pelos portugueses e por Portugal uma particular admiração, que nos valeu ser dos primeiros países aonde a Obra iniciou o seu apostolado de "amizade e confidência".

          Hoje espalhada por todo mundo, também entre nós está bem entronizada, como se pode ver e confirmar - in loco- pela lista com as missas de terça-feira. Eu vou à das 09horas na basílica do Santuário de Fátima. Os meus amigos vão aonde lhes der mais jeito. Fica o horário:

Opus Dei -

          No próximo dia 26 de Junho, a Igreja celebra a festa litúrgica de S. Josemaria. Em todo o mundo serão celebradas missas em honra deste santo da Igreja.
Seguem-se os locais e horários das missas em Portugal e Angola:

Alcácer do Sal – 26 de Junho, às 18h30 – Igreja paroquial.

Braga – 30 de Junho, às 11h30 – Sé Catedral.

Caldas da Rainha – 26 de Junho, às 19h00 – Igreja de Nossa Senhora da Conceição (Igreja matriz)

Coimbra – 26 de Junho, às 18h30 – Igreja de Nossa Senhora de Lurdes.

Estoril – 26 de Junho, às 19h00 – Igreja de S. Pedro e S. João do Estoril.

Évora – 26 de Junho, às 18h30 – Igreja de Nossa Senhora de Fátima.

Fátima – 26 de Junho, às 9h00 – Basílica do Santuário de Fátima.

Faro – 23 de Junho, às 11h00 – Igreja de S. Pedro.

Lisboa – 26 de Junho, às 19h00 – Igreja de Nossa Senhora de Fátima.

Ponta Delgada – 23 de Junho, às 11h00 – Igreja de S. José.

Porto – 26 de Junho, às 19h00 – Igreja da Trindade
Missa celebra por D. Manuel Clemente (bispo do Porto)

Setúbal – 23 de Junho, às 12h00 – Igreja da Anunciada.

Viseu – 26 de Junho, às 19h15 – Sé Catedral.


Luanda – 26 de Junho, às 18h30 – Igreja Paroquial de S. Joaquim.

 

           -  A entrada é livre, pode é não haver lugares sentados.... e era bem feito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:34


Para o ano há mais...

por aquimetem, em 22.06.12

          Ontem foi um dia em cheio. Com aniversário em casa, mesmo assim fui almoçar com um grupo de amigos à ESSM, deixando para outra hora a festa familiar. Tenho uma santa mulher que não sendo transmontana, cultiva a mesma generosidade – e a paciência ! - das que são de lá. Um telefonema que recebi de um amigo apanhou-me ontem de surpresa, a convidar para um almoço e eu sem reflectir imediatamente disse que sim. Quando me lembrei dos anos que tinha em casa é que dei pela precipitação. Mas aprendi de São Josemaria Escriva que palavra dada não deve voltar atrás.

         

          E tudo correu bem! A pena que tive foi não poder dar o meu abraço a todos os meus ex-companheiros de trabalho com quem convivi muitos anos. Mas como bons companheiros que foram e são, estou desculpado. Fica o almoço-convívio com o Major Godinho, o Zé Vargas, o Dário e o Jorge que nunca esquecem o velho companheiro das tesouras, da magia, e das letras. Pena também foi não tirar uma foto para registo do convívio. Fica para uma próxima.

         Desta vez eu tinha o Colombo, vizinho das hortas alfacinhas, onde havia determinado ir jantar com a aniversariante, antes do Portugal x Checoslováquia, e de receber em casa a visita habitual de um casal de conterrâneos meus.

          A aniversariante não gasta, mas faz questão que as visitas sejam bem servidas...Só o Hugo, a ver o filme..., está condenado a sumo... 

 

          E lá se passou mais um ano, na conta dos anos passados. Nada menos que  75 , uma conta bonita que a aniversariante deixou ao cuidado do Borges, do marido, da Cristina e da Fátima somar, porque para o ano há mais

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 00:45


Falam muito bem o português

por aquimetem, em 19.06.12

           Os amigos dos meus amigos, meus amigos são, diz o adágio. Muito mais ainda, se se trata dos amigos dos nossos filhos, como foi aqui o caso!  Vinda de El Salvador, a caminho de Moçambique, a Enma, colega de trabalho da minha filha, em Quelimane, passou ontem por Lisboa, onde fez escala e ficou uma noite, que nem tempo deu para ver a cidade e seus arredores. Mas em contrapartida tinha à sua espera, no aeroporto, além do Luís que se prontificou para a transportar a minha casa, também um casal de alemães, Manfred e Lanka, com quem já trabalhou em África,  e que de férias em Portugal, sabendo por terceiros desta viagem, veio propositadamente da Zambujeira do Mar fazer uma surpresa à Enma.

          Deste encontro e reencontro de amigos teve origem um jantar servido com muita amizade no meu modesto "dormitório alfacinha", vizinho de São Lourenço de Carnide. Um bacalhau com grão, sopinha de puré, tinto alentejano e duriense foi a ementa servida ao casal alemão Manfred e Lanka e à salvadorenha Enma. Não sei se gostaram, mas caso não,  disfarçaram muito bem. Com muitas horas de voo, e com partida marcada para as 09h00 da manhã rumo a Moçambique, a Enma, mesmo assim foi resistindo até que alguém tivesse dó dela. E lá se foi deitar na cama da sua amiga Gisela, que a espera ainda hoje na pátria do Eusébio. Entretanto também o casal alemão se despediu porque amanhã quarta-feira parte para a Etiópia, onde actualmente são directores de um projecto comunitário da Acção Agrária Alemã.

         Já no fim do repasto, o Luís fez o favor de me retratar em conversa animada com as três visitas de honra: a Enma, o Manfred e a Lanka. Quem me vir assim todo à vontade até vai pensar que eu fala alemão ou espanhol como qualquer poliglota, mas não, os meus amigos é que falam muito bem o português.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:16


Fica este esboço

por aquimetem, em 17.06.12

           A Festa do Corpo de Deus, em Lisboa, decorreu com muito brilho na Quinta-feira, dia 7. Uma das solenidades mais antigas que Portugal festeja, e como religiosamente é tradição, 60 dias após a Páscoa. Festa instituída por Urbano IV,em 1269, celebra-se à Quinta-feira porque foi em Quinta-feira Santa que Jesus Cristo instituiu a Eucaristia quando na ultima ceia disse aos apóstolos: " Este é o  meu corpo....isto é o meu sangue....fazei isto em nome de mim". Desde que em Portugal começou a ser festejada, sempre a uma quinta-feira, feita dia feriado nacional, o Corpus Christi nem com os governos mais ateus que passaram na cena da governação ficou por se fazer no dia correspondente. Foi preciso vir agora um governo dito democrata, obrigar a que também as divindades paguem com dias de trabalho as asneiras dos políticos.

         Com saída da Sé, a procissão desceu à baixa e percorreu algumas das suas ruas.

          Na Rua da Prata, enquanto uma máquina apanha os dejectos dos animais, um grupo de jovens escuteiros lançam patelas de flores ao chão por onde vai passar o Corpo de Deus vivo

  

          Muitas irmandades

           Ordem dos Cavaleiros do Santo Sepulcro

 

           Ordem de Malta

 

           No meio de dois colegas, o Sr. Cónego Traquina, prior de NS da Amparo - Benfica

 

          Na primeira fila de sobrepeliz, o vigário geral do Opus Dei, em Portugal,  Mons. José Rafael Espírito Santo 

 

           Todo sorridente, em terreno seu, o Sr. Padre Vítor Gonçalves, prior de Santa Justa e Santa Rufina.

           À frente, o alentejano Sr. António Rosado com a cruz paroquial de Santa Justa (São Domingos, à Baixa)

 

           Disfarçada no meio das trajadas a rigor, a bajouquense irmã Célia Cabecinhas, distingue-se no tamanho, sobre as demais.

 

           Duas filhas da Madre Teresa de Calcutá, distinguem-se pela cor branca e as riscas azuis

 

          Na retaguarda, o pálio com o Santíssimo, confiado às mãos de D. José Policarpo, Cardeal Patriarca de Lisboa.

 

           Atrás do pálio, de regresso à Sé, além de representantes da sociedade civil e autoridades cívicas, também aqui um Arauto do Evangelho, com a crus de lis bem estampada na indumentaria,  faz a sua zelosa caminhada. Eu fiz também a minha, e oxalá  que esta  festa do Corpus Christi  se mantenha, como desde a sua origem, a ser festejada à QUINTA-FEIRA, e com dia santo a nivel nacional.

  

          Como em Lisboa, também nas demais dioceses do país, a Festa do Corpo de Deus é festejada com grade pompa e circunstância a que aderem milhares de fieis. Fica para memória e também recordar que este post surge em 2º via uma vez que a reportagem publicada  logo a seguir ao evento ( no dia 14) me desapareceu do blog, removida ou abatida---  Só ontem fui alertado. Para atenuar, fica este esboço.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:07


Santo António de Lisboa

por aquimetem, em 16.06.12

            É dos santos mais conhecidos em todo o mundo, e popularmente festejado e cultuado. Nasceu em Lisboa, por volta de 1195 e faleceu em Pádua, a 13 de Junho de 1231. Baptizado com o nome de Fernando Martins de Bulhões, teve por seus progenitores, Martim de Bulhões e Maria Teresa Taveira Azevedo, descendentes de famílias nobres e abastadas, assim como também muito cristãs.

           Fez os primeiros estudos na Igreja de Santa Maria Maior (actual Sé de Lisboa) tendo por mestres os cónegos Regrantes de Santo Agostinho a cuja Ordem pertenceu, depois de entrar como noviço no Mosteiro de São Vicente de Fora e desse modo iniciar os estudos para a sua formação religiosa. Nessa condição vai para Coimbra, onde no Convento de Santa Cruz estudou Direito. Coimbra era ao tempo o centro intelectual do País, e por certo ali se deve ter envolvido de forma profunda no estudo da Sagrada Escritura e nos textos dos Padres da Igreja. Alem de que nessa ocasião conheceu também os primeiros missionários franciscanos, chegados a Portugal  em 1217, e que seguiam a caminho de Marrocos para evangelizar os mouros. Seduzido por esse ideal e motivado por um impulso mais forte quando vê os corpos desses frades, mortos em sua missão, voltarem a Coimbra, onde foram honrados como mártires, pede para trocar de Ordem e se juntar a outros franciscanos que tinham  eremitério nos Olivais, sob a invocação de Santo António do Deserto, e muda o nome de Fernando para António, iniciando a sua própria missão em busca do martírio.

          Viajou muito, vivendo inicialmente em Portugal, depois na Itália e na França. Em 1221 passou a fazer parte do Capitulo Geral da Ordem de Assis, a convite do próprio São Francisco, o fundador, que o convidou também a pregar contra os albigenses em França. Foi transferido depois para Bolonha e de seguida para Pádua, onde morreu com cerca de 40 anos.

          Construída no sítio da casa onde nasceu Santo António, esta igreja, vizinha da Sé, é como em Pádua (Itália) pólo de atracão que chama a si devotos vindos das mais diversas partes do globo e muitos até não católicos que sentem admiração e respeito por este notável santo português e Doutor da Igreja.

           Padroeiro de Lisboa, Pádua, pobres, oprimidos, casais, mulheres grávidas e pessoas que desejam encontrar objectos perdidos, entre tantos mais, encontram em Santo António o seu fiel protector e elo de ligação com Jesus e a Sua Igreja. Ao longo dos séculos Lisboa tem sabido honrar essa graça de ter por filho seu, um tão insigne taumaturgo, de quem disse São Boaventura " possui a ciência dos anjos". A sua fama de santidade era tão grande que falecido em 13 de Junho de 1231,  logo em 30 de Maio de 1232 é canonizado por Gregório IX, na catedral de Espoleto (Itália). Festejado com pompa e circunstância na sua cidade, com festas populares à mistura, o teólogo, o místico, o asceta e notável orador sagrado tem no seu dia, feriado municipal e festa religiosa muito participada, com Missa Solene e Procissão pelas ruas de Alfama sob tutela da Ordem Franciscana e colaboração do município alfacinha.

          Lá voltei um ano mais, desta vez para pedir ao Santo milagreiro que interceda junto de Nossa Senhora do Viso, para que dê juizinho a uns tantos politiqueiros que se apoderaram de São Bento... e deixem de exigir aos santos que também tenham de pagar a crise..., com dias de trabalho. Entretanto vamos de fugida até à procissão: aqui com o Padre Frei Jorge Marques, guardião e reitor da Casa-igreja de Santo António à Sé, no comando do cortejo.

 

           Se os grevistas da CP pensaram que com a falta de comboios iam prejudicar a Procissão de Santo António, bem se enganaram. Como nos anos anteriores, centenas e centenas de fieis devotos se incorporaram no cortejo e também muitos estrangeiros, turistas na maioria.

 

           Muitas irmandades das diversas paróquias da cidade

            A imagem do Santo transportada, como tem vindo a ser tradição, pelos Sapadores B. de Lisboa.

          Na cauda da procissão,o pálio com o Santissimo seguro nas mãos de  D. Nuno Brás Martins, bispo - auxiliar do Patriarcado, que presidiu.

 

          Atrás a banda dos Sapadores Bombeiros e muito povo, muito povo mesmo.

 

           De volta ao ponto de partida, frente à Sé, a procissão terminou com  a bênção aos circunstantes por D. Nuno Brás, e um agradecimento final a quantos colaboraram e participaram desta festividade citadina feito pelo Reitor da Casa-igreja de Santo António de Lisboa.

 

           Entretanto a imagem do Santo regressa ao seu altar, na igreja de Santo António de Lisboa, no Lg de Santo António à Sé

          E cá está ela, no Largo, a caminho de casa, paredes meias com a Sé

ii

         A casa-igreja de Santo António de Lisboa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:14


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D