Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Escolha que o eleitorado fez

por aquimetem, em 17.06.11

          Tudo aponta no sentido de que Portugal ao contrário do que sucedeu até há pouco vai entrar nos eixos, forçado a tomar consciência que só com produção  e poupança se consegue sair da crise em que foi lançado. Os dois líderes partidários que assumiram formar uma maioria parlamentar sustentável e capaz de levar a bom termo uma governação honrada e patriótica que dê dos portugueses uma imagem semelhante à que no futebol dá Mourinho só pelo sigilo com que rodearam o acordo entre ambos é prova da maturidade política que os adversários diziam não existir.

          Dai seja o momento oportuno para recordar o que Manuel Falcão, em o METRO do passado dia 7, lembrava: " Com a derrota do PS fecha-se um ciclo político e nestas alturas é bom fazer um exercício de memória, para que no futuro não esqueçamos o que  aconteceu, além do aumento da dívida, do aumento do  desemprego e da crise em que o Pais foi mergulhado. Alguns lembrar-se-ão que Luís Campos e Cunha, o seu primeiro ministro das Finanças, avisou bem cedo do rumo que as coisas iriam tomar. Mas o que veio a seguir ultrapassou tudo o que se esperava: utilização da CGD para patrocinar a tomada de poder no BCP e financiar guerras internas de accionistas, tentativas de compra de uma estação de televisão incómoda para o Governo, casos de corrupção uns atrás dos outros"; e adianta mais: " Sócrates chegou a primeiro-ministro pela mão de Jorge Sampaio, num episódio político nebuloso que objectivamente favoreceu o PS. Por isso também Jorge Sampaio é co-responsável de tudo o que aconteceu e  também ele foi um dos grandes derrotados de 5 de Junho".  O povo quando se vê apertado sabe escolher, e Passos Coelho, com apoio de Paulo Portas, promete honrar a escolha que o eleitorado fez. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:52


Camões perdoa e desculpa

por aquimetem, em 10.06.11

          Castelo Branco foi este ano a cidade escolhida para festejar o 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades. Presidiu à Comissão Organizadora das Comemorações o Dr. António Barreto, modelo de cidadão e de político honrado. No seu discurso de abertura ficou bem patente esse seu modo de ser, deixando fortes criticas aos que se servem dos cargos, em vez de servir no cargo. Frontal como é disse coisas como  estas: " Tudo é novo! Novo é também o facto de alguns políticos não terem dado o exemplo do sacrifício que impõem aos cidadãos". Quem não se sentiu muito à vontade com os discursos do dia foi Sócrates que vaiado pelo povo, seu conterrâneo, à entrada da sessão solene, veio dizer no fim que não "faz comentários sobre politiquices ou política". Mais optimista e responsável no dizer e pensar esteve Passos Coelho, o futuro Primeiro Ministro de Portugal que com aquela serenidade dos verdadeiros líderes, desabafou: " Gostei muito de qualquer dos discursos, foram muito importantes, mas não vou fazer comentários".

          A ideia que partiu do Sr. Presidente da Republica em festejar este 10 de Junho na cidade albicastrense é de louvar pois é também pelo interior beirão  que deve começar a reconstrução de um País potencialmente agrícola e turístico que se deixou adormecer e  acordou agora...sobressaltado. Por isso uma vez mais alertou Cavaco Silva: "Está na hora de mudar de atitude, de desenvolver uma estratégia clara de revalorização do País, incentivando e apoiando o espírito indomável daqueles que aqui vivem e trabalham". Como Passos Coelho, também eu digo: Todos falaram bem, neste dia de Camões cujo nome quase não foi citado nas cerimónias, porque ao momento político interessa mais as teses de um José Mattoso e de um Orlando Ribeiro do que falar de Camões aos portugueses. Mas Camões perdoa e desculpa  

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 22:56


Passos... e Portas a bater....

por aquimetem, em 06.06.11

          Ora cá está o homem em quem Portugal acreditou e confiou a missão de derrubar um 1º Ministro que com 6 anos de desastrosa governação deixou o país nas ruas da amargura. Mas há males que vêm por bem, e os 38,6% que o PSD conquistou, contra os 28% alcançados pelo PS demonstram bem quanto os portugueses estavam fartos do Sócrates e do socialismo. Nunca duvidei que esta vitória ia acontecer, mas não tão folgada. Parabéns Passos Coelho, que a tua vitória seja a vitória dos portugueses que em ti confiaram, os de hoje e os de amanhã!!! Fora com os corruptos que esta noite já sentiram Passos...e Portas a bater ...   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:21


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D