Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dar razão...ao tempo

por aquimetem, em 24.01.11

            Como já se esperava, o Professor Aníbal Cavaco Silva acaba de ser reeleito Presidente da Réplica Portuguesa, com larga vantagem sobre todos os seus cinco adversários que mais não fizeram que procurar denegrir a imagem do potencial vencedor. Sozinho teve mais votos que todos os seus adversários juntos.

           Homem do povo, Cavaco Silva teve, também do povo, o testemunho de respeito e confiança que nele depositam. A sua vitória foi a derrota daqueles que se apresentaram ao eleitorado para lavar roupa suja, caluniar e assim sem ideias, nem projectos consumirem centenas de euros do erário publico em campanha de mal dizer. 

           Dos seus cinco adversários, apenas um merece o meu destaque: Fernando Nobre, o 3º mais votado destas  eleições. Por ser o único que não teve nenhuma maquina partidária a trás de si, considero-o como sendo quem ficou em segundo lugar, e merecia, pois além disso foi  o que menos disse mal do País e de Cavaco Silva. Os portugueses quando é chegada a hora de decidirem sabem fazê-lo. Há que saber dar razão....ao tempo        

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:04


Candidatos a Belém

por aquimetem, em 13.01.11

          Tinha pensado não dar qualquer importância, salvo cumprir o meu dever de cidadão no próximo dia 23, à campanha de Eleições Presidenciais que está a decorrer. Entretanto esta foto do candidato Professor Cavaco Silva que encontrei na Net fez-me mudar de pensamento, e desse modo abordar um assunto que parece surgiu, logo à partida, sem assunto capaz de seduzir os portugueses. Sem adversários políticos ou de cidadania capazes de por mérito próprio o vencerem, Cavaco Silva entrou na corrida à casa que já ocupa, como actual  Presidente da Republica, praticamente na situação de vencedor, testenunho bem expresso é o sorriso e o abraço que nesta foto parece estar a dar a todos os portugueses, sem excepção. Conscientes dessa realidade e da superioridade do adversário, os outros concorrentes nem ao trabalho se deram de apresentar projectos ao eleitorado e apenas vai de desatarem a lavar roupa suja e com isso sujar o nome de Portugal e das instituições que temos.  

       A democracia tem destes casos, permitir que o medíocre goze da liberdade devida a todos os seus concidadãos. Claro que aqui é o bom senso do cidadão que deve agir, e quando isso não acontece, ou funciona mal, quem acaba por pagar a factura é o erário publico, como tem vindo a acontecer neste País dos bananas, e não das bananas. É exemplo o governo que temos e agora o comportamento dos adversários do actual Chefe da Nação Portuguesa. De quem diz um dos seus adversários, não devia ser reeleito porque ao contrário dele e dos seus camaradas é uma figura desconhecida internacionalmente. Quanto a essa observação, recordo que também Al Capone conquistou a fama universal e nem por isso merece  o respeito devido às pessoas honradas e ao povo trabalhador e sem voz para se fazer ouvir. Além de que lições de democracia, patriotismo e liberdade vindas dali, têm o Metro do passado dia 11 para contrapor: "Com mais de três décadas de Parlamento, mas quase nula experiência de gestão de assuntos de Estado. Na realidade, Manuel Alegre foi secretário de Estado por escassos seis meses", e acrescenta: " fica na história por ter sido o governante que encerrou as quatro publicações do grupo da Sociedade Nacional de Tipografia, em Fevereiro de 1977, atirando para o desemprego 900 trabalhadores daquela que era, à época, o maior e mais prestigiado grupo de imprensa de Portugal".  "O Século", "Seculo Ilustrado", "Vida Mundial" e  "Mulher-Modas e Bordados", estes foram os contemplados... com a democracia de um dos candidatos a Belém.   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:02


Os nossos parabéns

por aquimetem, em 07.01.11

          A fé que arrasta até Fátima milhares e milhares de devotos de Nossa Senhora era motivo suficiente para provocar nos residentes a perguiçosa tentação "do não te rales", tanto na reitoria do Santuário, como no todo do comercio e serviços instalados à volta do Altar do Mundo. Mas não, e compreende-se: dado que  se parar é morrer, também não é próprio dos  filhos de Deus fujir-se ao trabalho. 

           Mesmo na chamada época baixa, a cidade de Fátima consegue manter activo todo seu suporte de funcionalidade, quer a nível de Santuário, quer  de comercio e serviços. Aqui são as forças vivas que na medida do possível procuram dar também uma ajudinha com iniciativas locais como foi agora a construção dos presépios de rua que na Rua Francisco Marto durante a quadra natalícia deram testemunho do nascimento do Jesus, Filho de Maria nossa Mãe. Aos promotores da iniciativa, Câmara Municipal de Ourém e Associações intervenientes:Freguesia de Fátima, Centro de Recuperação Infantil de Ourém, Associação de Artistas e Artesãos de Ourém, os nossos parabéns.    

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 15:28


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D