Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dia de São Josemaria

por aquimetem, em 22.06.10

          São Josemaria Escrivá nasceu em Barbastro (Espanha) a 9 de Janeiro de 1902; e por inspiração divina fundou o Opus Dei, em Madrid, no dia 2 de Outubro de 1928. 

          Com oração e penitencia constantes, com exercício heróico de todas as virtudes, com amorosa dedicação e solicitude infatigável por todas as almas, e com uma entrega continua e incondicional à Vontade de Deus, impulsionou e dirigiu a expansão do Opus Dei por todo o mundo.  Grande amigo de Portugal e devoto de Nossa Senhora de Fátima, o autor de CAMINHO, e doutros muitos trabalhos de formação e reflexão como CRISTO QUE PASSA, SULCO ou a FORJA, por diversas vezes visitou o nosso país que foi o 2º aonde o Opus Dei iniciou o seu labor apostólico, em 1949.

          Beatificado a 17 de Maio de 1992, logo a 6 de Outubro de 2002 foi também canonizado pelo Santo Padre João Paulo II que o elegeu como mais um modelo de santidade para todos os fieis cristãos. Falecido a 26 de Junho de 1975, o corpo do fundador do Opus Dei repousa na Igreja Prelatícia de Santa Maria da Paz-viale Bruno Buozzi, 75, Roma, e sempre acompanhado pela oração das suas filhas e filhos e de muitos dos seus inúmeros amigos e devotos espalhados por todo mundo.  

          A oração que com um Pai nosso, Ave Maria e Gloria, consta numa pagela do Fundador, retrata bem  as ambições e preocupações de quem Deus quiser chamar para O servir afecto a esta  Prelatura da Igreja Católica, ora vejamos: " Ó Deus, que por mediação da Santíssima Virgem concedestes inúmeras graças a São Josemaria, sacerdote, encolhendo-o como instrumento fidelíssimo para fundar o Opus Dei, caminho de santidade no trabalho profissional e no cumprimento dos deveres quotidianos do cristão, fazei com que eu também saiba converter todos os momentos e circunstâncias da minha vida em ocasião de Vos amar e de servir, com alegria e simplicidade, a Igreja, o Romano Pontífice e as almas, iluminando os caminhos da terra com a luz da fé e do amor".  Esta é uma das orações que os inumeros filhos e filhas  de São Josemaria Escrivá, e muitos outros apenas simples devotos ou  amigos do Opus Dei, pronunciam habitualmente, mas com particular profundidade no próximo dia 26, dia de São Josemaria. Em Lisboa, além da Missa anunciada para a igreja de Fátima, também ás 12h00 haverá celebração no Oratório de São Josemaria, às Laranjeiras. Mas para melhor informação convem consultar: www.escrivaworks.org.    

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:57


Andar em forma

por aquimetem, em 01.06.10

 

          Tenho pela região do Oeste uma especial simpatia, simpatia que vem do facto de nos inícios da década de 60 ali ter participado em dois acontecimentos que pela positiva me marcaram os primeiros anos de imigrante em Lisboa: um foi na Marteleira (Lourinhã), onde fui como convidado assistir à boda de um distinto celoricense que já há muitos anos perdi o seu contacto - : António Teixeira Marinho. Outro, mais ou menos pela mesma altura,  deu-se no Bombarral, aonde a convite do meu conceituado conterrâneo, e distinto filho adoptivo da "capital da Pêra Rocha", o  José Luciano Gonçalves Bastos, tomei parte no 2º Encontro da Imprensa Não-Diária. Aqui  um outro amigo que embora não tenha perdido o seu contacto, a verdade no entanto é que também já lá vão muitos anos que não nos vemos. Já tenho saudades. 

          Mas vamos a saber: no ultimo fim de semana, de 27 a 30 de Maio, demorei-me por essa encantadora sub-região do Oeste, aproveitando para matar  saudades de sítios e lugares; e entre alguns deles calhou a praia da Areia Branca, muito arranjadinha e pronta para receber os seus cada vez mais frequentadores. Admirei.

          Como a praia em si, também o centro urbano da Areia Branca  é um exemplo de como se devem manter zelados os espaços de repouso e lazer num país internacionalmente famoso pelas suas estâncias balneares. Aqui um louvor muito sincero ao Município da Lourinhã que tem sabido apostar no asseio, qualidade e tratamento dos seus principais pontos de atracção.      

          Continuando na Lourinhã, agora é este postal com a foto do homem que em Portugal  foi o promotor e impulsionador da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Rural (A.P.D.R.) quem me faz recuar uns anos a trás e recordar as diversas visitas que a seu tempo  fiz à Casa-Escola Agrícola  da Lourinhã, também aqui em evidência retratada no rectangulo. Recordações do passado, por terras de dinossauros...

          Mas o meu destino, nesse fim de semana, era o Bombarral, aquela simpática vila portuguesa do distrito de Leiria que se situa numa planície de aluvião muito fértil, orlada de outeiros pouco elevados, na margem do rio Real e a uma altitude de 50 metros. Sede de um município com 90,44 km2 de área e 13 856 habitantes (senso de 2006), subdividido por 5 freguesias, o Bombarral é limitado a norte pelo município de Óbidos, a nordeste pelas Caldas da Rainha, a sueste pelo Cadaval e a sudoeste pela Lourinhã. Lá me dirigi, ao centro da urbe bombarralense, na tarde do dia 27, supondo poder encontrar casualmente algum dos confrades com quem durante muitos anos partilhei colaboração no Noticias de Bombarral, jornal que o meu distinto conterrâneo e cabeceirense ilustre, José Luciano, fundou e dirige. Em vão, os bombarralenses para combater a crise começam por se ficarem por casa e deixarem às moscas o comercio local, assim me pareceu quando num café do centro da vila,  que até está em trespasse, notei a falta de clientela. E melhor não vi no Palácio Gorjão, pese a "feira do livro" estar ali a decorrer. Deixei ao balcão...cumprimentos ao Zé Luciano, e penso que me não esqueci do Delmar Domingos de Carvalho cujo filho Ten. Carvalho foi meu chefe na ESSM, óptima pessoa.

Zacarias Berenguel Vivas

23-1-1903 - 3-2- 2000 

          Depois da merendinha da ordem no café, da visita à mata onde se dão os  eventos importantes da terra, como a feira da pêra rocha e a do vinho leve, foi a vez de  "verter águas" nos respectivos sanitários públicos que nesta ocasião não condizem com as obras à sua volta e dos Paços do Concelho. Fica o reparo. Mas fora estes desacertos a visita foi agradável e enriquecedora, bastando só este retrato do meu saudoso amigo Sr.Vivas que da Quinta de Santo António, na Sobrena - Cadaval, foi senhor, para fazer esquecer algo que por ventura não tivesse corrido pelo melhor.

 

          Como já o ano passado relatei, em post de 4 de Junho,  no blog "Ao sabor do tempo" também agora vim uma vez mais até Vale Covo para descansar e  carregar as baterias  na Casa-Escola Agrícola das Palmeiras, se quero andar em forma... 

           Oratório da Casa-Escola Agrícola das Palmeiras ( Vale Covo - Bombarral)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:52


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D