Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




chuva africana

por aquimetem, em 18.10.09

 

          Esta semana, 1ª de Abril, a minha estadia no Bongo  foi muito curta, apenas durou de 4ª a 6ª-feira. Pesou aqui além das indispensáveis comodidades sociais que ali não existem, também o facto de qualquer cristão coerente com a sua fé ser obrigado a procurar fora dali o serviço religioso que a Igreja Católica, no lugar, nem aos domingos raramente garante.

           Daí que já afreguesado em percorrer a distância que separa o Bongo do Huambo e sobretudo este troço  que entre o  Bongo e o desvio  entronca com a estrada do Huambo/ Benguela, uma vez mais subisse até à capital da província para no lugar  habitual  me acomodar.

          Atravessando toda a vasta área  rural que depois de  Lépi,  por Caála, tem nos vales do Kunhingamua e do Lufefena a principal fonte de energia vital,  o destino é alcançado.

          E a  paisagem  entre Caála e Huambo é âmpla e sedutora. Mas hoje pessimamente aproveitada, como se vê.

          Desta vez o meu objectivo central era participar na eucaristia dominical, e  na melhor das hipóteses calhando no Santuário de NS de Fátima por já me ser familiar  e o mais perto do sítio de acolhimento.

          Nesse domingo, 5 de Abril, no fim da missa das 09h00, que muito participada e animada com cânticos  tradicionais  acabou por volta das 10h30, a chuva veio de mansinho dar os bons dias aos fieis, e eu, fugindo-lhe a caminho de casa,  tive ainda tempo de no trajecto, a pé,  tirar mais esta foto ao colégio de São José de Cluny. Mas a chuva em Angola tem a particularidade de molhar e passado momentos deixar os corpos secos. É chuva africana.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:00


A magia do sertão

por aquimetem, em 15.10.09

          A visita que fiz a terras africanas de Angola está a chegar ao fim. Mais uns dias para aqui no planalto central ocidental apreciar a paz e sossego que a aldeia do Bongo oferece a quem tem o privilégio de poder ali demorar-se a viver  e sentir a magia do sertão, e acabou-se!

          Coincidi-o a minha estadia com a estação das Chuvas, que como se sabe ocorre entre Setembro e Abril, e à qual em posts anteriores já dei conta de alguns dos efeitos que a sua acção provoca quando em fortes e assustadoras trovoadas se manifesta. Até o céu fica escuro e as aves em pavorosa!

           Mas a terra agradece por ver nas torrentes o sangue que as enriquece e faz germinar as sementes e as plantas que são a riqueza desta angolana região do Huambo.

          Se esta cabrita soubesse Português ou percebesse Umbundo  aqui a tínhamos a louvar os efeitos benéficos da chuva sobre uma lavoura que quando à antiga portuguesa era explorada dava pão à farta para brancos e negros, e hoje pelo que se vê..,nem para  fatos à medida das necessidades da casa dá. Neste aspecto, mete dó.

           No entanto a terra é fértil e continua a produzir, como disso esta viçosa papaia, no meio do milheiral, deixa ver.  

          E esta árvore florida, na cerca  do antigo hospital, que só com a água das chuvas se enfeita desta forma! É a magia africana.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:25


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D