Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




política deste governo

por aquimetem, em 14.02.08

          Este..., também me enganou! Valeu - me o alerta de um colega seu  para eu ver que se tratava  de mais um.. Eh, o País deu nisto!... Todos à procura de poleiro, e para isso nada como iludir o pagode.

          À espera de um  tacho mais convidativo que o de bastonário de uma qualquer Ordem, que por vezes dá mais trabalho do que dinheiro, o Dr. Marinho e Pinto acabou há pouco de mostrou a sua pinta..., ao acusar a PJ de no processo da Casa Pia ter estado,  segundo ele,  tentando  "decapitar o Partido Socialista". Acusação que fez com que os advogados das vitimas da pedofilia da Casa Pia, hoje mesmo tenham entregue no Conselho Superior da Ordem dos Advogados uma queixa contra ele. Entretanto com as costas bem quentes, o senhor bastonário já veio dizer que não está preocupado com tal queixa. Também eu não estava, se tivesse, como ele,  os camaradas para me defender.

          Alerta pessoal da PJ! Além deste  Sr. bastonário, também o Procurador do MP vos acusa  de violarem a lei diariamente, com comunicados à Imprensa. Há zelo a mais! Tudo porque vós melhor que  ninguém sabeis quem tem medo da informação sair para fora do segredo de justiça.  O Mário Soares  é que  não está com meias medidas e vai  de criticar tudo quanto são " Cartazes inúteis"  típico da política deste  governo

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:50


sabe reconhecer

por aquimetem, em 11.02.08

          Acerca de cinquenta anos o aspecto paisagístico da vila de Mondim era mais ou menos este que se vê na foto: do Barrio até ao fundo da Serra, as habitações instalam-se do lado esquerdo da  rua principal da vila, enquanto a margem direita se mantém fiel à rusticidade típica duma região tradicionalmente agrícola.

Mondim dos meados de Séc. XX

          Os tempos mudaram, e hoje o terreno  onde se cultivava milho, bom vinho e fruta em abundância  foi, em boa hora, transformado em jardim, arruamentos  e blocos de cimento armado. Não contesto apenas na qualidade de adversário das "pedreiras" lamento que pelo  menos em vez da nossa pedra ir embelezar terras distantes  alguma dela não dê  brilho e encanto às ruas  de uma vila em franco desenvolvimento.

O que era campo, transformou-se agora em jardim

          Durante muitos anos um vulgar e insignificante município rural quase ignorado  no interior de terras de Riba-Tâmega ou de Santa Senhorinha, nestas últimas décadas Mondim de Basto deu o salto de qualidade que nunca tinha conseguido para hoje se tornar numa das vilas  e dos concelhos mais notáveis de entre Douro e Minho. Tudo graças ao dinamismo das forças vivas do concelho, sobretudo da vila e freguesia de São Cristóvão de Mondim que não perdem oportunidade para promoverem eventos que se prestem a dar da sede de concelho a melhor imagem e assim captar dividendos socioeconómicos para todos os mondinenses.

           Mais um desses eventos começou há pouco a ser forjado para se mostrar obra feita  e sedutora no lapso que vai entre 19 e 23 de Abril próximo. Aqui a iniciativa deve-se a Junta de Freguesia de Mondim de Basto, com a colaboração da Câmara Municipal e dos Bombeiros Voluntários de Mondim de Basto, e o apoio do Agrupamento de Escolas, Mondim  Cor artes gráficas, Romarigues , Rádios Locais, Jornais Locais e Água Hotels Mondim. O tema em cena dá pelo nome : "Contar, Cantar e Pintar Mondim" . Pretende ser uma jornada de homenagem, promoção e divulgação de todos os criadores naturais  deste concelho. Na lista dos expositores constam  autores como Mons . Ângelo Minhava , o poeta Luis Jales de Oliveira, o escultor Domingos de Oliveira e o colunista José Teixeira da Silva, figuras a quem muito deve Mondim de Basto. Mas a par destes outros nomes mondinenses ou não amigos da terra  vão ser recordados no decorrer do evento, como o Dr. Eduardo Teixeira Lopes, Dr. Borges de Castro e Dr. Primo Casal Pelayo, este sem sombra de dúvida o mais notável historiador que primeiro se ocupou em conhecer a verdade histórica do concelho de Mondim de Basto e em particular da ermida do Monte Farinha. Além disso abriu as portas aos futuros historiadores, dando as fontes e as pistas de pesquisa que antes de 1968 eram desconhecidas dos estudiosos. Por isso os meus parabéns à organização deste evento porque  além do mais sabe reconhecer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:34


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D