Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




À volta de Sá de Miranda

por aquimetem, em 20.02.07

      Tenho uma certa admiração por Francisco H. Raposo, o autor dum trabalho monográfico que,  patrocinado  pela  Mobil, publicou na década de 80 à volta dos caminhos (estradas) de Portugal. Trata-se dum trabalho muito bem concebido que pelas imagens e suave descrição histórica do seu todo nos leva a conhecer melhor as nossas terras e gentes. 

        É pena que nestes trabalhos nem sempre o rigor histórico se faça notar, por  forma a merecerem a credibilidade e a confiança daqueles estudiosos que  procuram  a verdade contida nos factos em relato. Como  verifiquei  agora ao consultar mais uma vez  a brochura correspondente à província do MINHO, de Dezembro de 1986, que da vila de Amares diz textualmente:  "Já em Amares (sem nada que se lhe assinale de mérito) podemos ir espreitar (2km) a famosa medieva Ponte do Porto sobre um lindo trecho do Cávado e que assinala o termo do concelho. (........) Pela mesma estrada  um pouco mais à frente está o desvio ( à direita) para Caldelas. Mas  continuemos  em frente para ir espreitar na igreja de Carrazedo o modesto túmulo de Sá de Miranda que ali nasceu".

          Ora aqui temos nós uma chamada de atenção a fazer: Francisco Sá de Miranda de facto viveu na Quinta da Tapada e ali faleceu em 1558, mas segundo os seus biógrafos  nasceu em  Coimbra cerca de 1490. Portanto Sá de Miranda não é conterrâneo de Gualdim Pais, o famoso mestre da Ordem dos Templários, mas apenas um filho adoptivo de Amares, uma terra onde sempre gostei de parar quando  em tempos  ia a Rendufe de visita ao meu saudoso amigo Padre Mário César Marques. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:24


15 comentários

De Andando de raboleta a 20.02.2007 às 23:36

Peço desculpa de só agora ter podido passar por aqui. Agradeço do fundo do coração as palavras de solidariedade deixadas no meu post "Tanta Saudade". Obrigado e um bom resto de semana.

De Sindarin a 25.02.2007 às 11:22

Olá meu amigo! mais uma linda narrativa sobre lugares tão bonitos e gente mais linda ainda. Desculpe-me se estive ausente ainda ñ estou mto bem. Problemas de coluna k me impedem de estar mto tempo sentada. Agradeço a sua amizade e o esclarecimento sobre a localização do Mosteiro. È ponto assente a mina visita assim k puder a esse local. Deixo um beijinho cheio de amizade. Obrigado pelo seu carinho e amabilidade.

De Arte por um Canudo a 25.02.2007 às 17:27

É a falta de rigor em certos documentos que mais tarde deixam baralhados quem quer fazer uma investigação e encontra dados que não correspondemà verdade.Devia de haver tipo lápis azul quando o que se faz não corresponde à verdade. Amares terra muito linda e que muito frequentei em tempos quando dava aulas em Terras do Bouro.Quanto às fotos é só ir http://fotos.sapo.pt/ e fazer o registo e dizer o url do blog onde vão ficar as fotos. Abraço.

De Jofre Alves a 25.02.2007 às 18:47

Mais um texto de qualidade, duma pessoa sensível às questãoes da nossa terra e do nosso povo. Bem-haja e bom fim-de-semana.

De touaqui42 a 01.03.2007 às 12:58

É VERDADE O norte TEM COISAS BONITAS E MAIS A MAIS O MINHO.
Amares Vila Bonita com um recanto junto ao Rio Cavado , uma beleza sem igual digam lá o que quizerem.
Claro que o MINHO e TRÁSOSMONTES é de VISITAR.
Não rara as vezes que vou a TRÁSOSMONTES almoçar no KáTeESPERO ali para as bandas da ZONA de ArCo de Baúlhe.
Claro que já me informaram que em Arco de Baúlhe existe Restaurantes para se comer Bem e baráto mas que me desculpem gosto do KáTeEspero.
Mas a Alheira da AMIL é das Melhores em Mirandela lá isso tenho que confessar.
Para terminar vou beber uns bons copos de BOM VINHO do PORTO em Castanheiro do NORTE-CARRAZEDOdeAnSiâes.
Para isso tenho a ESPOSA que conduz , estão-me a perceber não estão.

De antonio a 04.03.2007 às 15:53

Caro amigo
Já dias andei por estes sítios a a partir dum cruzamento ali para os lados de Parada de Gonta-
Trocámos umas breves palavras e aqui estou de novo.
Fiquei a gostar destes ares.
Esta questão do rigor quando se pretende aflorar questões de índole histórica, tem que ser levada a sério. É claro que nem sempre se consegue esse desiderato mas tem que ser feito o devido esforço e ressalvar que se estar a ensaiar uma possibilidade histórica, da qual não haja ou não se conheçam informações mais fidedignas.
O nome "Rendufe" trouxe-me à mente um termo parecido, "Randufo" ou "Randulfo" relacionado com um sítio com reminiscências duma antiquíssima urbe romana que terá existido nas imediações da minha terra de residência: Barreira-Leiria. Em 2004 deu-me para escrever sobre esta freguesia, dado que, duma forma inesperada, acabei por fazer parte da sua Junta, de 2000 a 2004. Claro que não sendo natural destas paragens (sou de Viseu), só me permiti ensaiar umas abordagens de temas monográficos e históricos desta zona, porque senti que devia deixar o meu contributo escrito. Tive a sorte de poder publicar um livro, que cá ficará para a memória futura, eventualmente poderá ter aberto algumas pistas a seguir por outros mais capazes do que eu e que se venham a abalançar a tal missão.
Espero voltar a este e outros assuntos...
Um abraço
António Nunes

De aquimetem a 04.03.2007 às 22:40

Já hoje andei pelo blog do meu Amigo, mas em vão! Não consegui deixar o meu comentário no vosso pedagógico cantinho cultural, como não é da sapo não me deixam entrar.
Sabe, também eu sou um louco pela vertente histórica e sobre a Bajouca já publiquei vários artigos, e continuo a fazê-lo mensalmente no Elo, um jornalzinho da paróquia muito interessante. Quanto à etimologia de Rendufe nunca me debrucei sobre o assunto, mas até é natural que o assunto já tenha sido abordado. Não sei.
Bem, hoje já comecei a ilustrar um dos meus posts com fotos, veja : Vilar de Ferreiros.
Um forte abraço

De antonio a 05.03.2007 às 12:45

Estava agora mesmo de saída, para almoço. É que apesar de já ter 40 e tal anos de contribuições para a Segurança Social, ter sido obrigado a ir para Moçambique em serviço militar, etc., de estar farto desta malfadada profissão de toc, que escolhi é certo, mas que cá ando por necessidade fazendo embora o meu melhor, que os outros não têm culpa deste meu estado de espírito, tenho que continuar a "matar" a cabeça com números (dos outros ainda por cima).
Bom, mas vamos ao que me trouxe a esta nota: a questão dos comentários dos "sapos" nos "blogspot e vice-versa acaba por se resolver, entrando o meu amigo como "outro" e identificando-se como "sapo".
Penso que conseguirá.
Tive durante algum tempo o mesmo problema quando necessitava de ir aos "sapo", mas resolvi-o desta maneira.
Um abraço
António

De aquimetem a 06.03.2007 às 11:19

Grato pela visita. Fazer o que se gosta e se sabe fazer é bom para todas as idades, só que há normas e direitos a respeitar. E o descanso e o prémio de tantos anos de trabalho?! Depois que não seja por necessidade. Voltei ao seu cantinho, mas nem com sapo, nada.
Boa semana.

De aquimetem a 18.03.2007 às 19:35

Meu caro
Bem tentei mas não consigo entrar nos comentários ao seu cultural cantinho. De tal modo que até me empurraram para aqui. Obrigado por todas as atenções e bom inicio de semana.

De aquimetem a 03.04.2007 às 15:05

Só para deixar aqui os meus votos de Santa Páscoa. Oxalá os receba. Um abração vou estar na Bajouca no Domingo de Páscoa, com visita pascal

De aquimetem a 10.04.2007 às 22:03

vamos a ver se consigo deixar aqui os votos de santa páscoa que tentei deixar na Semana Santa, fica desde já e uma vez mais a boa intenção.

De aquimetem a 11.04.2007 às 13:08

Esta mensagem é só para ver se me desfaço do post a comentar cuja janela se mantem aberta. Um abraço

De aquimetem a 07.05.2007 às 13:43

Vou deixar aqui o meu abração para ver se entretanto a janela fecha.

De aquimetem a 08.05.2007 às 13:30

tentar que esta janela feche

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D